MENU

Valdivia agradece carinho da torcida, mas reconhece dificuldade física

Valdivia agradece carinho da torcida, mas reconhece dificuldade física

Atualizado: Segunda-feira, 23 Agosto de 2010 as 11:13

Valdivia atuou só no segundo tempo, teve que cobrir um atleta expulso, e mesmo longe da forma ideal, recebeu todo o carinho da torcida palmeirense. Neste domingo, no empate em 0 a 0 entre o Verdão e Guarani, no estádio Brinco de Ouro, o Mago finalmente reestreou pelo clube onde é adorado, e revelou a emoção que sentiu ao vestir novamente a camisa do time. - Foi legal. Voltar para o Palmeiras era o que eu queria e agradeço muito o carinho do torcedor. Mas vou ter que trabalhar ainda mais para que ele continue me querendo. Agora a ansiedade já passou, tenho que pensar no que vem. É lógico que no começo vai ser difícil porque não tenho jogado, já faz muito tempo. Ao menos não perdemos, temos que pensar assim. Mas estamos tristes também por termos desperdiçado dois pontos. Como falamos no vestiário, somos Palmeiras, temos que entrar para vencer todos os jogos – afirmou o meia, após o jogo.

O atleta admitiu que sentiu dificuldades físicas em campo, já sabendo que não estava em sua melhor forma. Para ele, a expulsão de Marcos Assunção na segunda etapa acabou também exigindo mais dele e de todo o time - Você treina físico, mas o jogo não é só físico: é qualidade, momento, questão de achar seu espaço. É lógico que o treino físico dá a condição para você aguentar o jogo inteiro. Sofremos uma expulsão, e tivemos que correr – disse.

Prazo para voltar à sua melhor forma? O meia chileno não quis estabelecer uma data.

- Isso é uma coisa que às vezes chega e você não percebe. Para outros, demora mais. Minha vantagem é que eu conheço a dificuldade do futebol brasileiro e o que é preciso para achar um espaço no time. Eu estou trabalhando pra isso, pra render o que eu quero e o que esperam de mim.

O técnico Felipão aprovou a atuação do meia, considerando que estava dentro do esperado.

- Ele fez jogadas com as características dele. Mas forma ideal, só daqui a dez, 15 dias, quando ele tiver jogado uns dois ou três jogos, estiver em ritmo melhor. Não dá para cobrá-lo mais do que já estamos cobrando. Não dá pra esperar que ele vá jogar 90 minutos na sua melhor qualidade. Ele teve que fazer um esforço maior do que o normal, porque ficamos com dez, preenchendo uma vaga do campo e aparecendo pra jogar. Ficou mais difícil pra ele pq não é sua característica – afirmou o comandante alviverde.

veja também