MENU

Van der Sar: o ponto final de uma carreira marcada por conquistas

Van der Sar: o ponto final de uma carreira marcada por conquistas

Atualizado: Sexta-feira, 27 Maio de 2011 as 1:30

A doce rotina de Van der Sar: conquistar títulos por onde passa (Foto: Getty Images)

  A carreira de Edwin Van der Sar no gol começou cedo, mas por acaso. Apenas por ser o mais alto dos times de base em que atuava, foi empurrado para debaixo das traves, aos oitos anos. Dali, não saiu mais. Começou a jogar no Foreholt, time amador de sua cidade natal na Holanda, Voorholt. Hoje, com 40 anos, está em um dos maiores clubes do mundo, o Manchester United, é um dos mais respeitados e mais vencedores de sua posição e está a apenas um jogo de pendurar as chuteiras e as luvas.

Mas não é um jogo qualquer. É uma final de Liga dos Campeões da Europa, contra o Barcelona, em Wembley. A partida acontece no próximo sábado, às 15h45 (de Brasília), com transmissão ao vivo da TV Globo e do GLOBOESPORTE.COM. Ou seja, o momento não poderia ser melhor para encerrar a carreira. Após conquistar o Campeonato Inglês, seu quarto nos últimos cinco anos, e podendo ganhar a terceira Champions nestes mais de 21 anos de história no futebol.

- É um momento precioso, porque não há uma ocasiao maior do que uma final de Liga dos Campeões, em Wembley, contra o Barcelona, para me despedir. Já testemunhei quatro finais até aqui e jogar esta é muito especial.Todos sonhamos em erguer esta taça, e quando se consegue, é uma sensação incrível. É fantástico quando, no dia seguinte, temos uma fotografia que imortaliza esse momento - afirmou, em entrevista coletiva após o treino de quinta-feira.

Van der Sar x Taffarel: duelo épico de pegadores de pênaltis na Copa de 1998 (Foto: Getty Images)

  Poucos jogadores têm a oportunidade de encerrar a carreira em alta. Van der Sar pode dizer, com orgulho, que é um deles. Com quatro décadas de vida, sendo duas delas atuando em alto nível no futebol profissional, o holandês tem 28 títulos na carreira, sendo 12 deles no Manchester United, seu atual clube. Números incríveis e dos quais ele se orgulha muito.

- É sempre bom quando as pessoas falam bem de nós, pois, como é óbvio, todos gostam de ser valorizados. Quando as pessoas dizem 'muito bem, vamos sentir saudades tuas', é algo muito bom de ouvir até um certo ponto, pois também temos que ver o que é bom para nós.

A família foi fator preponderante na decisão de Van der Sar se aposentar. Ainda em forma, apesar da idade, o goleiro quer se dedicar a cuidar de casa, especialmente da esposa Annemarie, que teve uma grave doença há dois anos .

- Não posso precisar quando tomei esta decisão, mas já estava a ponderar isto quando a Annemarie sofreu o acidente. Ela conseguiu se recuperar e decidimos que eu iria jogar por mais um ano na Inglaterra e ficaria no Manchester United, mas, após o início da temporada, a ideia de terminar a carreira começou a ganhar mais força - explicou.

Companheiros são só elogios

Todos que trabalham com Van der Sar têm uma opinião em comum sobre o goleiro: é não só um grande jogador como também uma excelente pessoa. Para o técnico do Manchester United, Sir Alex Ferguson, que foi quem indicou a contratação do jogador para os Diabos Vermelhos, o holandês merece todos os elogios que vem recebendo nos últimos dias.

- Todas as coisas que foram ditas sobre Van der Sar nos últimos dias são corretas. É uma carreira fantástica, um homem fantástico e que merece tudo isso. Ele só está jogando até hoje porque sempre se sacrificou, se dedicou e foi recompensado por isso. Tudo o que ele alcançou é merecido - afirmou, em entrevista concedida ao site da Uefa.  

O craque da seleção holandesa, Wesley Sneijder, que joga no Inter de Milão, é mais um a rasgar elogios ao arqueiro, que lhe ajudou bastante em seu início de carreira.

- Há sete anos, jogamos contra a Escócia e foi meu primeiro jogo com ele. Foi ótimo, porque ganhamos por 6 a 1 e foi ele quem disse que eu poderia fazer a diferença naquele jogo, em que eu marquei meu primeiro gol. É a minha melhor memória sobre ele, que tem uma ótima personalidade, é uma grande pessoa e o melhor goleiro do mundo. Desejo tudo de melhor a ele, porque ele realmente merece - contou.

Goleiro reserva de Van der Sar no United, Lindegaard acredita que o holandês é o melhor do mundo e revela que aprende bastante com o companheiro.

- Ele tem muito caráter e é um privilégio que tenho trabalhar ao lado dele e conhecê-lo como pessoa. Ele vem fazendo um trabalho incrível desde que chegou aqui e seria perfeito se pudesse se despedir com o título da Liga dos Campeões - observou, ao diário "The Guardian".

Holandês orienta: liderança e frieza são duas de suas qualidades no Manchester (Foto: Getty Images)

  Uma carreira marcada por títulos

Desde o início de sua carreira, Van der Sar se acostumou a ganhar. Do modesto clube amador da cidade natal, foi para o VV Noordwijk, onde observado por Louis van Gaal, então auxiliar de Leo Beenhakker, treinador do Ajax, deu seu primeiro importante passo na carreira: acertou uma transferência para as categorias de base do clube de Amsterdam, em 1990, aperfeiçoando-se na famosa escola De Toekomst (O Futuro), onde o Ajax forma jogadores para o elenco principal.  

E logo na temporada 1990-91, o arqueiro teve a sua primeira oportunidade no time de cima. Um ano mais tarde, ainda na reserva de Menzo, faturou o primeiro troféu da carreira, a Copa da Europa. A titularidade só viria três anos depois, em 1993, com mais títulos: a Supercopa da Holanda e o Campeonato Holandês. Estava começando uma série de 14 taças faturadas em apenas nove anos no clube.

Além disso, ganhou inúmeros troféus individuais na Holanda, como quatro títulos como melhor goleiro da temporada e dois como melhor da posição em todo o continente europeu.

O sucesso lhe rendeu uma transferência para o Juventus, que tinha ambições de formar uma grande equipe na temporada 2000-01. No entanto, apesar da regularidade, não se firmou, já que o time perdeu os principais títulos que disputou, sendo vice campeão italiano em duas temporadas de maneira consecutiva. Perdeu espaço com a chegada de Buffon e optou por ir para o Fulham. Não saiu de mãos vazias, no entanto, faturou uma Copa Intertoto, em 1999, mesmo troféu que ele ajudou a dar ao próprio Fulham, três anos depois, em 2002.

No clube de Londres, fez partidas espetaculares, como quando defendeu um pênalti cobrado por Gerrard em jogo decisivo para a permanência no clube na primeira divisão do Campeonato Inglês, na temporada 2002-03. Seguiu brilhando tanto que despertou o interesse do Manchester United, onde foi atuar em agosto de 2005. A primeira temporada no clube não foi tão boa, levou apenas um título, mas no ano seguinte começou a mudar sua história nos Diabos Vermelhos.

Passou a brilhar muito pelo Manchester, teve atuações decisivas e conquistou 12 títulos em apenas seis temporadas. Uma estatística incrível e que pode aumentar ainda mais no próximo sábado, caso ele consiga fechar o gol e ajudar o time a vencer a Liga dos Campeões mais uma vez, agora em decisão contra o Barcelona.

Fama como grande pegador de pênaltis

Van der Sar voa para defender a cobrança de Anelka e dar o título do United em 2008 (Foto: Getty Images)

  Entre tantos momentos especiais, ele elege um: a final da Liga dos Campeões em 2008, quando pegou o pênalti que deu o título ao Manchester United na decisão contra o Chelsea. E ele sonha em poder ser herói novamente, agora contra o Barcelona.

- Lembramo-nos sempre mais das que ganhamos do que as que perdemos, o que é óbvio. O que tenho mais na memória é a defesa da grande penalidade, batida pelo Anelka, em 2008. Deu-nos a vitória e nunca se ganha um jogo como arqueiro.

Ninguém queria chegar até os pênaltis, mas é quando temos a oportunidade de sermos heróis. Parece que é uma regra, que as decisões normalmente terminam com o batedor fazendo um pênalti, então foi um sentimento fantástico e algo que gostaria que voltasse a acontecer - ressaltou.

Pegar pênaltis, aliás, não é nada demais para Van der Sar. O torcedor do Grêmio, por exemplo, lembra bem dele: na final do Mundial Interclubes em que o Ajax derrotou o Imortal, o holandês pegou a cobrança de Dinho e foi decisivo para o título. Ao todo, em levantamento feito pelo jornal "Mundo Deportivo", o arqueiro já teve 41 cobranças de penalidade contra si - defendeu 17.]          

veja também