MENU

Vasco consegue vaga com dose de sofrimento

Vasco consegue vaga com dose de sofrimento

Atualizado: Segunda-feira, 5 Abril de 2010 as 12

Foi bem mais sofrido do que se espera de um jogo entre um time que busca a classificação e outro que tenta fugir do rebaixamento. O Vasco conseguiu chegar à semifinal da Taça Rio com uma boa dose de drama, na vitória por 4 a 3 sobre o Duque de Caxias, neste domingo, no Raulino de Oliveira. Com o segundo lugar no Grupo B, terá o Flamengo como adversário no domingo às 16h, enquanto Botafogo e Fluminense fazem o outro confronto no sábado.

O Vasco, que chegou a fazer 3 a 1 já no segundo tempo, permitiu o empate e só conseguiu o gol salvador, com Dodô, aos 32 minutos. Os outros três foram marcados por Fagner, Elton e o próprio Dodô, que garantiram a terceira vitória em três partidas do treinador interino Gaúcho. Esta é a décima vez em 14 possíveis que o time chega à semifinal de um dos turnos desde que esta fórmula de disputa foi adotada, em 2004. Ainda assim, entre os quatro grandes, é o Vasco que amarga o maior jejum de títulos estaduais - desde 2003.

Carlos Alberto, que foi desfalque por causa de dores musculares, voltou a fazer falta, principalmente porque o outro responsável pela armação de jogadas, Philippe Coutinho, teve atuação discreta. O Duque de Caxias agora terá pela frente um triangular da morte, disputando partidas de ida e volta com Friburguense e Resende, para decidir o segundo rebaixado no Campeonato Carioca. O lanterna na soma de pontos dos dois turnos foi o Tigres.

A partida em Volta Redonda tinha um forte contorno político, já que o Duque de Caxias é uma espécie de reduto de Eurico Miranda, ex-presidente do Vasco e derrotado por Roberto Dinamite nas últimas eleições do clube. Um de seus filhos, Álvaro Miranda, é o técnico da equipe, e outro, Eurico Miranda Filho, é o diretor de futebol. Dois antigos funcionários do Vasco na era Eurico também estão no Duque: o supervisor Nilson Gonçalves e o coordenador de futebol Nelsinho Rosa (campeão brasileiro de 1989 como técnico).  

Vasco consegue virada rapidamente

Com o campo pesado devido à chuva e muitos passes errados dos dois times, as primeiras oportunidades de gol vieram em cobranças de falta. Dodô desperdiçou a sua, batendo em cima de Getúlio Vargas. Pelo Duque de Caxias, Júnior também pareceu ter mirado o goleiro. Seu chute, no entanto, teve força suficiente para que Fernando Prass não conseguisse segurar a bola, espalmando-a para a frente. Maurinho aproveitou a falha e o rebote, fazendo 1 a 0.  

A desvantagem no placar durou bem pouco. Um minuto depois, Fagner fez um golaço, ao deixar Fábio no chão com um corte e acertar um chute no ângulo - a bola ainda bateu na trave antes de entrar. A virada também não tardou, com outro bonito gol. Léo Gago driblou um adversário e deu passe, erguendo um pouco a bola, para Elton. Ele chutou de virada e de primeira: 2 a 1.

A vitória parcial fez com que parte da torcida gritasse "fica, Gaúcho". Mas não fez com que o time seguisse as instruções do técnico, que pedia para que as laterais fossem mais usadas - uma insistência também do técnico anterior, Vagner Mancini.  

Confira os melhores momentos da partida:

O Vasco seguia atacando sobretudo pelo meio, quase sempre procurando Elton como pivô. Mas os lances de perigo dependiam de jogadas individuais, assim como nos dois gols. Márcio Careca esteve perto de marcar o terceiro, depois de dar um drible da vaca, mas demorou tanto em decidir se chutava ou passava a bola, que foi travado por Júnior na hora da conclusão. Philippe Coutinho também teve a sua chance cara a cara com o goleiro, que defendeu com os pés.

Sem ser muito incomodado na defesa, o Vasco perdeu Nilton, expulso, em um lance de ataque (assista no vídeo acima). Em cobrança de escanteio na área, ele levou um soco de Tinoco e foi para o vestiário mais cedo, assim como o zagueiro do Duque de Caxias. Será desfalque na semifinal contra o Flamengo, junto com Gian, que recebeu o terceiro cartão amarelo.

Segundo tempo dramático

O Vasco começou a segunda etapa ocupando o campo de ataque. E conseguiu seu terceiro gol aos cinco minutos, com Dodô, finalmente em uma jogada trabalhada. Philippe Coutinho deu passe para Márcio Careca, que avançou pela esquerda e encontrou Elton na entrada da área. O atacante deu um passe de primeira e deixou seu companheiro de ataque sozinho na área. Ele se livrou de Getúlio Vargas com um leve toque por cobertura.

Os 3 a 1 no placar poderiam dar tranquilidade para o Vasco controlar a partida, mas essa vantagem só durou seis minutos, até que o Duque chegou ao segundo gol, e novamente graças a uma falta cobrada por Júnior. Desta vez, entretanto, ele trocou a força pela categoria. E acertou o ângulo de Fernando Prass, que apenas olhou a bola bater no travessão e entrar.

Num passe errado de Gian, o Duque de Caxias conseguiu o empate, aos 18 minutos. Marcelo atravessou sozinho metade do campo, driblou Fernando Prass e concluiu para o gol vazio. A partir daí, o Vasco se lançou ao ataque desesperadamente e conseguiu uma sucessão de oportunidades. Numa delas, Dodô chutou por cima, de frente para Getúlio Vargas, após receber passe rasteiro de Fagner. Em outra, Elton chegou até a driblar o goleiro, mas viu Mayaro salvar seu chute em cima da linha.   

O gol da classificação veio aos 32 minutos, novamente em uma jogada da dupla de ataque. Elton deu outra assistência, agora de calcanhar, e Dodô não desperdiçou, chegando a 11 gols no Estadual, um a menos do que o artilheiro Vagner Love, do Flamengo. Com a vitória novamente nas mãos, Gaúcho não quis arriscar e trocou Elton por um volante forte na marcação, Jumar. Ainda assim, o torcedor sentiu um frio na barriga quando Juninho deu um chute forte, perto do gol, já aos 40 minutos. Foi o último susto do Vasco, que pôde comemorar a vaga na semifinal.     

veja também