MENU

Vasco perde outra, agora para o Nova Iguaçu

Vasco perde outra, agora para o Nova Iguaçu

Atualizado: Segunda-feira, 24 Janeiro de 2011 as 8:33

O pesadelo continua. Depois de perder na estreia para o Resende, o Vasco voltou a decepcionar sua torcida neste domingo, na derrota para o Nova Iguaçu por 3 a 2, em Volta Redonda. Com o resultado, a equipe da Colina segue sem pontuar no Campeonato Carioca. O time da Baixada Fluminense chegou a quatro pontos e está sem segundo lugar no Grupo A.

Há 27 anos o Vasco não acumulava derrotas nas duas primeiras rodadas do Carioca. A última vez foi em 1984, quando perdeu três seguidas: 2 a 1 para o Campo Grande, 4 a 0 para o Bangu e 1 a 0 para o Americano. Os torcedores hostilizaram muito os atletas já a partir do segundo gol do Nova Iguaçu, aos 18 minutos do primeiro tempo, gritando "time sem vergonha". A revolta voltou ao final da partida, e o meia Felipe, que falhou no terceiro gol, foi um dos principais alvos.

Na próxima rodada, o Vasco enfrenta o Boavista. Com o veto a Edson Passos, a partida será realizada no Engenhão, às 17h de quinta-feira. A equipe da Baixada, volta ao Estádio da Cidadania, agora como visitante, para enfrentar o Volta Redonda, às 17h de quarta-feira.

Nova Iguaçu aproveita apagão vascaíno

A pressão colocada em cima dos atletas vascaínos não se transformou em concentração. Pelo contrário. Os jogadores demonstraram intranquilidade e, antes que o time conseguisse passar do meio de campo com a bola dominada, levou o primeiro gol. Aos três minutos, depois de cobrança de escanteio rasteira, Alex Moraes recebeu passe dentro da área e só tocou no cantinho na saída de Fernando Prass: 1 a 0. A zaga cruzmaltina ficou só olhando.

O susto foi grande, mas os vascaínos não imaginavam que a situação ficaria pior. Sem que o time da Colina pudesse ao menos tentar uma reação, o Nova Iguaçu marcou novamente aos 18 minutos. Alex Faria levou a bola até a linha de fundo sem marcação e cruzou rasteiro para Maycon, que só teve o trabalho de escorar a bola para o fundo da rede: 2 a 0. Na origem do lance, Allan foi atrapalhado pelo árbitro, que ficou entre ele e Alex Faria.

Os jogadores do Vasco foram para a parada técnica debaixo dos gritos de "vergonha, time sem vergonha". A partir dos 20 minutos, o time passou a tentar a colocar a bola no chão e ser mais perigoso. Eder Luis, com um belo chute de fora da área, e Fernando, em uma cabeçada que acertou o travessão, chegaram perto de marcar. De resto, foram muitas bolas levantadas na área em busca de Marcel, que estava bem marcado. Nervosos, alguns jogadores, como Carlos Alberto e Ramon, arriscaram de longe e passaram muito longe da meta.

Perto do fim do primeiro tempo, o time da Colina ganhou uma ponta de esperança. Aos 37 minutos, Paulo Henrique deu uma cotovelada em Ramon e recebeu o cartão vermelho. Na saída dos atletas para o vestiário, integrantes de uma torcida organizada foram para perto do túnel hostilizar os jogadores e pedir mais empenho.

- Tem que arrumar o time todo. Isso foi brincadeira, (o time está) todo desarrumado, os meias não voltando para marcar. Tem que arrumar tudo - reclamou o técnico Paulo César Gusmão, de forma enfática, a caminho do vestiário.

Vasco volta com mais disposição, mas virada fica no quase

A bronca do técnico Paulo César Gusmão no intervalo deve ter sido boa, porque o time voltou mais ligado para a segunda etapa. E mais ofensivo, com a entrada de Jeferson no lugar de Allan. A mudança surtiu efeito. Aos sete minutos, Felipe levantou a bola na área, Cesinha desviou e Romulo mandou para o fundo da rede. O gol animou muito a torcida e o time, que se lançou em busca da virada.

Logo depois, aos 13 minutos, Carlos Alberto entrou na área, trombou com o zagueiro Alex Moraes e caiu. O árbitro marcou o pênalti. Marcel pegou a bola e acertou o canto direito do goleiro Diogo: 2 a 2. A má notícia foi a saída do capitão minutos depois por causa de um trauma no pé, de acordo com o departamento médico do clube. Apesar de o problema não ser grave, o camisa 19 ficou bastante chateado e chegou a chorar.

A tentativa de virada vascaína levou um banho de água fria aos 33 minutos. Felipe errou na saída de bola, William entrou na área, livrou-se da marcação e chutou para a rede: 3 a 2. A partir daí, toda vez que o camisa 6 pegou na bola, foi vaiado pelos torcedores, que gritaram que o Vasco não precisa dele.

Apesar do desânimo, os jogadores tentaram pressionar até o apito final mas não conseguiram furar o bloqueio armado pelo Nova Iguaçu, com um atleta a menos.   Por: Fred Huber

veja também