MENU

Vasco termina a década com o pior desempenho de sua história

Vasco termina a década com o pior desempenho de sua história

Atualizado: Quarta-feira, 22 Dezembro de 2010 as 10:13

Ver os dois maiores rivais comemorando título brasileiro em 2009 e 2010 poderia ser apenas uma chateação para os vascaínos, mas se tornou um toque de crueldade em uma década repleta de frustrações e praticamente sem alegrias. O sucesso de Fluminense, campeão neste ano, e Flamengo contrasta com uma época de vacas magras em São Januário.

A década atual, que se encerra daqui a 10 dias, fica marcada como a pior da história do Vasco desde que começou a disputar o Carioca na Primeira Divisão, em 1923 (confira infográfico abaixo). O clube conquistou apenas um título na elite, o estadual de 2003, e colecionou campanhas medíocres no Campeonato Brasileiro, ficando apenas duas vezes entre os dez primeiros. O fracasso culminou com o rebaixamento em 2008, um golpe e tanto na autoestima do tetracampeão nacional, que se gabava de ter participado de todas as edições desde 1971 e nunca ter disputado a Segundona. Disputou, em 2009, e ficou em primeiro lugar. Em âmbito internacional, o Vasco mal deu as caras nestes dez anos. Disputou a Libertadores apenas em 2001, fruto do título da temporada - e década - anterior. Na inchada Sul-Americana, teve quatro participações, mas parando na fase nacional em três delas.

Foi uma década também de dificuldades financeiras, brigas políticas, contratações de muita quantidade e pouca qualidade, diminuição da torcida e reinado de dois ídolos veteranos, Romário e Edmundo. Para explicar o que aconteceu nesse período turbulento, o GLOBOESPORTE.COM publicará nos próximos dias matérias especiais e duas entrevistas, com os mandatários nesse período, Eurico Miranda e Roberto Dinamite.

Antes da década perdida, uma década de ouro Para os vascaínos, a virada do século foi uma queda do céu para o inferno. A década 2001-2010 foi antecedida por anos de seguidas comemorações, com o título do Brasileiro em 1997, do Carioca e da Libertadores em 1998 (ano do centenário), do Torneio Rio-São Paulo em 1999 e de mais um Brasileiro e da Copa Mercosul em 2000.

No entanto, o fim do patrocínio do Bank of America - com rescisão unilateral de contrato, por parte do Vasco, após acusações dos dois lados de dívidas não pagas - deixou o clube sem chão após os investimentos milionários no time de futebol e num projeto olímpico, que incluía também modalidades como rodeio, boliche e windsurfe.

- Isso é o reflexo da falta de compromisso. Chega uma hora em que vai estourar. Em 2000, o Vasco tinha uma baita de uma equipe, mas 99% daqueles jogadores deixaram o clube com dinheiro por receber. Isso vai acumulando, acumulando, até que fica insustentável. Aí sai um, sai outro, e, se não entra ninguém no mesmo nível, a situação fica difícil. Os jogadores se comunicam. Um fala com o outro, pergunta como funciona, se paga em dia, se tem estrutura. Claro que isso contribuiu para que o Vasco não conseguisse formar grandes times depois. Os grandes jogadores, que têm muito mercado, optavam por outras equipes - explica Juninho Paulista, que deixou a equipe no fim de 2001. Primeiro a sair após o título brasileiro de 2000, Juninho Pernambucano também aponta a questão salarial como um problema para a escassez de títulos na década. Mas adota um tom nem tão pessimista, argumentando que o Vasco formou alguns bons times e que se aproximaram da classificação para a Libertadores. E aposta num 2011 com motivos para festejar:

- Com certeza, a fase de transição de um time vencedor e competitivo para outro atrapalha. Os mais jovens precisam abraçar esta responsabilidade, mas isso demanda tempo. É bom lembrar que, antes do título brasileiro de 1997, o último havia sido conquistado em 1989, portanto oito anos antes. Vieram alguns bons nomes, o time encaixou com gente jovem da base, qualificada e bem escolhida, e chegamos longe. Não há uma fórmula mágica, a não ser ter dinheiro e contratar os melhores, o que às vezes não é possível. O Vasco passou e passa por um momento de transição, e 2011 será um grande ano pela base montada neste segundo semestre.

Desempenho do Vasco na década, ano a ano:

2001: 2º colocado no Carioca; eliminado nas quartas da Libertadores; 11º colocado no Brasileiro

2002: 5º colocado no Carioca; eliminado nas quartas da Copa do Brasil; 15º colocado no Brasileiro

2003: campeão carioca; eliminado nas quartas da Copa do Brasil; eliminado na fase nacional da Copa Sul-Americana; 17º colocado no Brasileiro

2004: 2º colocado no Carioca; eliminado na segunda fase da Copa do Brasil; 16º colocado no Brasileiro

2005: 5º colocado no Carioca; eliminado nas oitavas da Copa do Brasil; 12º colocado no Brasileiro

2006: 9º colocado no Carioca; 2º colocado na Copa do Brasil; eliminado na fase nacional da Copa Sul-Americana; 6º colocado no Brasileiro

2007: 4º colocado no Carioca; eliminado na segunda fase da Copa do Brasil; eliminado nas quartas da Copa Sul-Americana; 10º colocado no Brasileiro

2008: 4º colocado no Carioca; eliminado na semifinal da Copa do Brasil; eliminado na fase nacional da Copa Sul-Americana; 18º colocado no Brasileiro (rebaixado)

2009: 3º colocado no Carioca; eliminado na semifinal da Copa do Brasil; campeão da Série B do Brasileiro

2010: 4º colocado no Carioca; eliminado na semifinal da Copa do Brasil; 11º colocado no Brasileirão

veja também