MENU

Vasco vira sobre o Alianza Lima e vence

Vasco vira sobre o Alianza Lima e vence

Atualizado: Quarta-feira, 7 Março de 2012 as 8

Dedé tem se especializado em resolver as situações mais complicadas para o Vasco. Nesta terça-feira, ele, mais uma vez, foi a peça determinante para a superação do time em São Januário. O Mito passou por cima do erro do seu companheiro de zaga Rodolfo, que falhou no gol do Alianza Lima, e de dois pênaltis desperdiçados por Alecsandro, marcando o gol da virada e ajudando a garantir a vitória por 3 a 2, pela segunda rodada do Grupo 5 da Taça Libertadores, diminuindo o drama que se apresentava pela frente em caso de tropeço nesse jogo. Ramos, contra, e Juninho, de pênalti fizeram os outros gols cruz-maltinos.

Com o resultado, o Vasco, que atuou com seu terceiro uniforme, todo azul, contra o Alianza, somou seus primeiros três pontos na Taça Libertadores, depois de perder para o Nacional, do Uruguai, na estreia, e ocupa a segunda colocação do Grupo 5, com três pontos, atrás do Libertad, do Paraguai, que venceu seus dois primeiros jogos na competição.

O próximo jogo do Vasco será no dia 14, justamente, contra o Libertad, em Assunção. O time, agora, terá apenas um confronto em casa para conquistar uma das duas vagas do Grupo 5 nas oitavas de final da Taça Libertadores.

O jogo

Com a ausência de Eder Luis, que desfalcou o time com dores na coxa direita, o Vasco começou o jogo apostando na velocidade de William Barbio. Toda vez em que Juninho pegava na bola a partir do do meio do campo, na intermediária de ataque, o principal alvo era o atacante, aberto pelo lado direito.

A jogada se mostrou rapidamente produtiva. Aos 12 minutos, Juninho deu ótimo passe para William, que chutou cruzado e viu a bola passar próxima de Alecsandro, que se jogou, mas não conseguiu tocá-la para abrir o placar, já com o goleiro Libman batido.

O Alianza Lima não conseguia trocar passes e sair de seu campo de defesa. Mas, em um chutão despretensioso, o atacante Charquero contou com a falha de Rodolfo para dominar a bola, entrar na área e tocar na saída do goleiro Fernando Prass para fazer 1 a 0 em São Januário, aos 16.

O gol abalou a confiança dos jogadores do Vasco. Rodolfo começou a viver entre vaias e aplausos. O drama foi amenizado aos 19 minutos, com a manjada jogada com William Barbio. Desta vez, Diego Souza lançou o atacante, que chutou cruzado e contou o desvio do zagueiro Ramos para empatar o jogo.

Mesmo com a rápida recuperação, o Vasco continuou demonstrando extremo nervosismo. Ainda assim, conseguiu criar jogadas para virar o placar. Aos 23, Alecsandro marcou, de cabeça, mas o gol foi anulado, pois o atacante estava impedido.

O Alianza seguia sem ameaçar a defesa do Vasco. Com isso, Dedé arriscou uma de suas subidas ao ataque. Aos 40, o zagueiro tabelou com Barbio e cruzou para Alecsandro tocar de letra e parar na zaga, depois de a bola passar pelo goleiro do time peruano. No fim do primeiro tempo, o Vasco ainda reclamou pênalti de Carmona em Thiago Feltri, mas a falta foi marcada fora da área, em lance difícil para o árbitro argentino Diego Abal.

Alecsandro perde dois pênaltis, e Juninho sela a vitória

Assim que o primeiro tempo terminou, a torcida do Vasco começou a pedir a entrada de Felipe. O técnico Cristóvão não só concordou com a voz do povo e colocou o meia no lugar de Eduardo Costa, como tirou o zagueiro Rodolfo para a entrada de Douglas.

O segundo tempo começou com o Vasco na pressão. E na jogada que funcionou durante toda a partida, William Barbio recebeu na direita de Juninho e chutou para defesa de Libman. No rebote, a bola tocou na mão de Carmona. O árbitro marcou pênalti e expulsou o zagueiro do Alianza. No entanto, o que parecia ser um momento de festa virou apreensão. Na cobrança, Alecsandro escorregou e cobrou no travessão, aos três minutos.

Com um jogador a mais, o Vasco aumentou o sufoco sobre os peruanos. As jogadas pela direita continuavam sendo a melhor opção. Mas uma excelente chance caiu nos pés de Juninho, aos 10 minutos. Em cobrança de falta na entrada da área, ele acertou o travessão, com Libman paralisado no meio do gol.

Aos 14, no entanto, a virada se concretizou. Em escanteio cobrado por Fagner, Dedé subiu mais do que o seu marcador e cabeceou no canto direito do goleiro Libman, virando o jogo e tranquilizando a torcida em São Januário. Dois minutos depois, Alecsandro balançou a rede, de cabeça, mas novamente estava impedido e teve o gol anulado.

Aos 23, o destino ainda reservou mais uma chance para Alecsandro se redimir da cobrança de pênalti desperdiçada, depois que Fagner foi derrubado na área. O atacante bateu no canto esquerdo, Libman defendeu, e a bola bateu na trave e voltou para as suas mãos. 

As chances continuaram sendo criadas. Felipe, que deu muito mais criatividade ao meio-campo, fez um carnaval na defesa do Alianza e tocou para Diego Souza, que chutou por cima. Com um a menos e acuado no campo de defesa, o time peruano ainda viu o árbitro marcar mais um pênalti esquisito em cima de Nilton. Desta vez, Alecsandro ameaçou ir para a bola, mas Juninho se apresentou, cobrou e fez 3 a 1.

Aos 40, porém, mais sufoco. Ibañez diminuiu o placar e deu uma certa dose de drama no fim do jogo. Mas o Vasco tocou a bola até o apito final e segurou a suada vitória por 3 a 2.

veja também