MENU

Veloz e furioso: Botafogo goleia o Ceará e incendeia o Engenhão lotado

Veloz e furioso: Botafogo goleia o Ceará e incendeia o Engenhão lotado

Atualizado: Quinta-feira, 8 Setembro de 2011 as 8:25

Com grande apoio da torcida, que lotou o Engenhão nesta quarta-feira (36.995 pagantes e 42.000 presentes), o Botafogo voltou a mostrar a sua força ao passar fácil pelo Ceará e golear por 4 a 0, gols de Herrera (dois), Loco Abreu e Cidinho, em partida válida pela 22ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O time de Caio Júnior, que chegou a liderar a competição durante 59 minutos, período em que o São Paulo empatava com o Atlético-MG, está na segunda colocação. Tem 40 pontos, um a menos do que o Tricolor paulista, que venceu por 2 a 1 no Morumbi. E ainda pode ser ultrapassado por Corinthians (40 pontos) e Vasco (38) nesta quinta-feira, quando terá um jogo a menos do que seus concorrentes.

A festa dentro do Engenhão contrastou com a grande confusão do lado de fora, onde muitos torcedores sem ingresso entraram em confronto com policiais militares. Na próxima rodada, o Botafogo tem pela frente o Coritiba, às 16h de domingo, no Couto Pereira, enquanto o Ceará recebe o Atlético-GO, no mesmo horário, no Presidente Vargas.

Na grande panela de pressão formada no Engenhão, o Botafogo aproveitou a presença em massa da torcida para começar o jogo com velocidade e jogadas pelas pontas. Tanto que bastaram apenas cinco minutos para o time da casa abrir o placar. Elkeson deixou Boiadeiro para trás e cruzou para Herrera. Na dividida na pequena área, a bola ainda desviou na cabeça de Vicente e entrou: 1 a 0. A euforia dos torcedores ficou ainda maior quando, no Morumbi, o Atlético-MG empatava o jogo contra o São Paulo.

Veloz e aplicado, o Botafogo jogava praticamente com quatro atacantes, já que Elkeson e Maicosuel se juntavam a Herrera e Loco Abreu num quadrado que levava muito perigo ao adversário. Do lado dos visitantes, o Ceará trocava passes, mas encontrava dificuldades para furar a forte marcação do Botafogo, abusando sem sucesso dos cruzamentos para a área. Os chutes de longa distância de Boiadeiro e João Marcos não chegaram a assustar.     Herrera é abraçado pelos companheiros no primeiro gol do Botafogo (Foto: Alexandre Cassiano/Globo)     Fabrício é expulso e Botafogo fica com um jogador a mais

O time de Caio Júnior só não ampliou mais cedo a contagem porque Herrera perdeu chance claríssima ao dar um carrinho na bola, após chute cruzado de Maicosuel, e mandar na trave. E o que era bom para o Botafogo ficou ainda melhor quando Fabrício, aos 44 minutos, recebeu o segundo cartão amarelo e foi expulso. A reclamação do Ceará foi muito grande, já que foi João Marcos quem cometeu a primeira falta em que Fabrício acabou punido.

Na cobrança da falta, Maicosuel mandou para o gol, mas o lance foi anulado porque Herrera, em impedimento, passou na frente da bola. A arbitragem considerou que houve interferência na jogada.

A força do Botafogo ficou ainda mais nítida na segunda etapa. Com um jogador a mais, o time não teve problemas para conseguir o segundo gol. Aos 12 minutos, Everton, que havia acabado de entrar na vaga de Márcio Azevedo, cruzou na medida para Herrera cabecear sem defesa para Diego: 2 a 0.       O meia Elkeson foi um dos destaques do Botafogo contra o Ceará (Foto: Alexandre Cassiano/Globo)       A essa altura, o duelo marcava dez finalizações para cada lado, mas a ineficiência do Ceará era vista com o zero no placar. O time da casa, por sua vez, mostrava ótimo futebol. Prova disso foi o gol de Loco Abreu aos 27 minutos, um golaço não pela finalização, mas pela jogada inteira. Lucas lançou Elkeson em profundidade, o meia deu belo passe de calcanhar, e Maicosuel acionou o uruguaio, que bateu de primeira para estufar a rede: 3 a 0.

Mas a vitória ainda tinha mais um capítulo, inusitado. Everton, mais uma vez, fez ótimo cruzamento para o baixinho Cidinho (1,69m) subir no meio da zaga e cabecear: 4 a 0. Foi o primeiro gol do meia de 18 anos como profissional.

Atordoado, o Ceará passou a se defender como podia para não sofrer mais gols. Os botafoguenses, velozes e furiosos, jogaram com todo o gás até o fim. A liderança não chegou nesta rodada, mas o gostinho já foi sentido.                

veja também