MENU

Venezuela passa de saco de pancada à surpresa da Copa América de 2011

Venezuela passa de saco de pancada à surpresa da Copa América de 2011

Atualizado: Segunda-feira, 18 Julho de 2011 as 1:52

O primeiro esporte na Venezuela é o beisebol. Mas desde 2007, quando a Copa América foi realizada no país, o futebol cresceu. A seleção local evoluiu. Naquela edição, a "Vino Tinto" chegou pela primeira vez na história às quartas de final e foi eliminada após derrota por 4 a 1 para o Uruguai. Quatro anos depois, a equipe comandada por César Farías bateu o Chile por 2 a 1 e alcançou às semifinais do torneio continental. Fato inédito na história do país, o que rendeu elogios até do presidente Hugo Chávez.

Mas o que mudou na evolução da Venezuela de 1963, quando participou da Copa América pela primeira vez, para a atual "Vino Tinto"? O governo e a federação local passaram a investir no futebol. Além disso, a equipe passou a ter mais jogadores que atuam fora do país. No grupo que viajou até a Argentina para a competição, sete atuam na Europa. Apenas dez defendem clubes locais, entre eles o goleiro Vega, um dos destaques do time.

Os principais destaques do time são o volante Tomás Rincón, do Hamburgo, o meia Juan Arango, do Borussia M'gladbach, e o atacante Nicólas Fedor, do Getafe. No triunfo sobre os chilenos, os gols foram marcados pelo zagueiro Oscar Vizcarrondo e pelo lateral Gabriel Cíchero.

Salomon Rondon comemora o gol da Venezuela sobre o Paraguai na primeira fase (Foto: AP)

[ Fora de campo, o técnico César Farías é um personagem à parte. Na estreia da Copa América, no empate por 0 a 0, o comandante deu uma dura em Neymar após o jogador não parar o lance para um atleta da Venezuela ser atendido no gramado. Na opinião do comandante, o futebol do país está no caminho certo para conseguir os resultados positivos.

- Temos feito um trabalho sério, com muitas horas de treinos. A Venezuela está em plena evolução. Temos jogadores na Europa, jovens talentos. As pessoas passaram a praticar mais o futebol em nosso país - analisou o comandante venezuelano.    

Pato no jogo do Brasil contra Venezuela (Foto: EFE)

  Antigo saco de pancadas da Seleção Brasileira, a Venezuela vem mostrando que deixou de ser um bobo no futebol nos últimos anos. Em 2009, o país venceu o Brasil pela primeira vez na história. Foi em um amistoso disputado nos Estados Unidos: 2 a 0. Logo depois, a Venezuela conseguiu arrancar um empate sem gols com a Seleção durante as Eliminatórias da Copa do Mundo de 2010, em partida realizada em Campo Grande. E no último confronto, na estreia na Copa América deste ano, novamente uma igualdade sem gols com os brasileiros. 

- Os resultados apóiam o nosso trabalho. Esta equipe tem muitas horas, muitas partidas, muita rodagem. Temos um planejamento sério e coerente. Pedimos respeito, é isso o que buscamos hoje. A Venezuela está em pleno crescimento. Tem jogadores na Europa, os jovens vêm bem. O número de praticantes no país subiu... - disse o técnico César Farías.

Na quarta-feira, em Mendoza, a Venezuela terá a oportunidade de fazer história na Copa América. A equipe vai enfrentar o Paraguai, pelas semifinais do torneio continental. A partida está marcada para às 21h50m (de Brasília).        

veja também