MENU

Vento ajuda, e Cielo é ouro nos 50m borboleta com recorde sul-americano

Vento ajuda, e Cielo é ouro com recorde sul-americano

Atualizado: Sexta-feira, 27 Abril de 2012 as 8:14

Pela manhã, a “noite de sono movimentado” atrapalhou Cesar Cielonas eliminatórias dos 50m borboleta, e ele acabou se classificando com o terceiro tempo. Mas o nadador do Flamengo ganhou um reforço importante na final da prova, disputada na noite desta quinta-feira. O campeão olímpico contou com a ajuda do vento forte no Rio de Janeiro para conquistar o ouro e bater o recorde sul-americano com 22s76.

- Acho que o vento acabou ajudando a gente um pouquinho hoje, mas não vou reclamar não. Espero que amanhã o vento também ajude no 100m livre - brincou Cielo.

A vitória, porém, foi por pouco. Companheiro de Cesar no Flamengo e no P.R.O. 16, Nicholas Santos apertou o ritmo no final da prova e fez o tempo de 22s79, apenas 0s03 atrás do vencedor. Cielo comemorou o bom desempenho do amigo.

- Fiquei muito contente, até pelo Nicholas também. Ele é um companheiro de treino sensacional, de alto nível. Não é só um amigo que treina comigo. É um cara que me desafia a ser um atleta melhor. Não sei se os três centímetros a mais fizeram diferença na chegada, mas estou feliz com esse tempo. Para o ano que vem, no Mundial de Barcelona, começo a focar nessa prova aí. Quem sabe a gente não faz uma dobradinha, quem sabe não chega mais perto do recorde mundial – disse.

O francês Frédérick Bousquet, que defende o Pinheiros, outra vez não conseguiu ameaçar Cesão e terminou na terceira posição, com 23s02. Primeiro nas eliminatórias, Glauber Henrique Silva, do Minas, fez o quarto melhor tempo da final (23s19).

Mais um ouro para Cielo

Cesar Cielo não teve muito tempo para descansar. Foi ele quem fechou o revezamento do Flamengo no 4x100m livre, mas João de Lucca, Eugene Godsoe e Thiago Sickert lhe deram uma boa vantagem. Quando entrou na água para disputar com Bruno Fratus, do Pinheiros, apenas administrou para garantir o ouro rubro-negro com o tempo de 3m17s58. O Corinthians ficou em terceiro.

- Estou bem cansado, mas satisfeito. Acho que mesmo o revezamento sem o Nicholas (Santos), que é o nosso segundo melhor nadador dos 100m livre, a gente está ganhando a prova. Acho que foi uma superação muito grande do grupo e, principalmente do Thiago, que é um cara que nada para 51s, às vezes para 50s, e pegou uns caras que fazem 49s e brigou de igual para igual. O grupo está com uma cabeça muito boa para a gente erguer essa taça sábado – afirmou Cesar.

veja também