MENU

Verdão chega à quarta partida sem vitória

Verdão chega à quarta partida sem vitória

Atualizado: Segunda-feira, 7 Junho de 2010 as 7:34

As reclamações do torcedor até se justificam pela péssima campanha na primeira parte do Brasileirão, mas os colorados não podem reclamar de falta de luta. O Internacional pressionou, correu, martelou, mas não passou de um empate por a 1 a 1 contra um Palmeiras bem estruturado defensivamente e eficiente em uma das raras vezes em que foi ao ataque neste domingo, no Beira-Rio, pela sétima rodada da competição nacional.

O resultado ao menos fez com que a equipe gaúcha ganhasse uma posição, o suficiente para passar a pausa para a Copa do Mundo fora da zona de rebaixamento. Com sete pontos, o Inter é o 16º colocado. O Verdão, que não vence há quatro rodadas, também subiu um degrau na tabela, e agora é décimo, com nove pontos.

Agora, paulistas e gaúchos dão folga aos seus jogadores e seguem em busca de treinadores que possam arrumar a casa para a continuidade no Brasileirão. O Internacional entra em campo dia 14 de julho, contra o Guarani, no Brinco de Ouro da Princesa, em Campinas, enquanto o Palmeiras tem pela frente o clássico contra o Santos, no dia seguinte, no Pacaembu. Palmeiras chuta apenas uma vez, mas abre o placar

Fazendo uso do clichê do futebol, muitos jogadores derrotados saem de campo justificando o resultado negativo com a seguinte frase: “Eles atacaram somente uma vez e fizeram o gol”. No caso do primeiro tempo de Internacional e Palmeiras, foi exatamente o que aconteceu. O Colorado teve mais posse de bola, martelou, se manteve no campo de ataque, mas quem saiu na frente foi o Verdão, na única finalização realizada.

Aos gritos de “Edinho Guerreiro”, o torcedor gaúcho começou a partida reverenciando um antigo ídolo que hoje é rival, enquanto observava sua equipe tentar furar o bloqueio alviverde sem sucesso. Centralizando as ações, o Inter raramente penetrava a área adversária. Ainda assim, assustava.

Aos cinco minutos, D´Alessandro abriu a jogada para Kleber soltar um balaço de canhota sem direção. A bola ainda encontrou Walter no segundo pau, mas Danilo impediu a conclusão do atacante. Dois minutos depois, mais uma boa jogada, que terminou com uma meia bicicleta de Alecsandro defendida por Deola. Os lances, no entanto, não foram capazes de desestruturar o Palmeiras, que mantinha o ferrolho e aguardava uma oportunidade para sair no contra-ataque.

Até os 14 minutos, o Verdão praticamente não tinha passado do meio-campo. Quando o fez, foi eficiente. Após lançamento longo de Pierre, Ewerthon fez o papel de pivô e, de cabeça, ajeitou para Lincoln emendar de primeira da entrada da área e fazer o gol.

Se já estava disposto a se defender com unhas e dentes para evitar uma derrota, o Palmeiras aproveitou a vantagem para se fechar definitivamente. Alecsandro corria de um lado para o outro e não criava nada. Diante da falta de espaços, Giuliano levou perigo aos 20, em chute de fora de área.

E o jovem meia foi responsável também pela única jogada de penetração do Inter. Com um belo passe, ele encontrou D´Alessandro em boa condição na área. O argentino cortou para o meio, mas teve que finalizar com a perna direita e facilitou o trabalho de Deola.

Cruzando bolas de um lado para o outro, os gaúchos tentavam resolver a falta de criatividade na base do abafa. Até os 40 minutos, foram 15 lançamentos na área contra nenhum do rival. Por pouco, a estratégia não acabou dando certo.

Aos 42, mais um chuveirinho, Deola saiu mal do gol e soltou a bola nos pés de D´Ale. O meia fez o cruzamento, mas Danilo afastou o perigo. No rebote, Guiñazu chutou forte para boa defesa do goleiro palmeirense. Neste momento, eram sete finalizações gaúchas contra uma do Palmeiras. Única e suficiente.

Inter finalmente fura bloqueio verde

No início do segundo tempo parecia que a partida ficaria um pouco mais equilibrada. O Inter permanecia com seu jogo de passes e chutes de longa distância, mas o Palmeiras se mostrou mais ofensivo e ao menos concluiu mais vezes. Até os 10 minutos, Ewerthon duas vezes, com destaque para chute defendido por Lauro aos sete, Edinho e Cleiton já tinham arriscado em busca do gol.

A série de finalizações, no entanto, foi exceção na regra defensiva dos alviverdes. O Colorado, por sua vez, seguia martelando pacientemente. Aos 11, Enderson Moreira trocou o vaiado Alecsandro por Taison. Porém, Walter era o mais perigoso e levava azar. Aos 14, ele recebeu de Guiñazu, girou, bateu cruzado e viu a bola passar perto da trave esquerda de Deola.

Sandro e Giuliano, de fora da área, seguiam tentando. E a persistência, enfim, deu resultado. Aos 21, Taison foi ao fundo e rolou para trás. Giuliano emendou de primeira, acertou Maurício Ramos e finalizou novamente no rebote. Dessa vez, o chute foi certeiro. Festa no Beira-Rio: 1 a 1.Após finalmente desencantar, o Internacional se mandou de vez para o ataque, trocou o defensor Glaydson por Andrezinho e pressionou. Aos 26, 29 e 31 realizou um bombardeio: D´Alessandro de canhota, Giuliano de voleio, Andrezinho em cobrança de falta. Todos pararam em Deola ou erraram o alvo.Acuado, o Palmeiras passou a errar na defesa - Maurício Ramos quase marcou contra, aos 35 -, mas conseguia se segurar. Burocrático, o Inter não passava de cruzamentos e chutes sem direção. Nada que justificasse um placar melhor do que o empate.

Postado por: Cristiano Bitencourt

veja também