MENU

Vettel repete domínio da Austrália e vence a segunda em 2011

Vettel repete domínio da Austrália e vence a segunda em 2011

Atualizado: Domingo, 10 Abril de 2011 as 8:43

Por GLOBOESPORTE.COM Sepang, Malásia

  Parecia um replay do GP da Austrália, que abriu a temporada 2011. Após Melbourne, a Malásia foi palco de mais um passeio de Sebastian Vettel com sua RBR. Campeão da Fórmula 1 em 2010, o alemão dominou a corrida - que acabou não tendo a esperada chuva desde o início - e não foi ameaçado pelos rivais no circuito de Sepang. De quebra, ainda viu Lewis Hamilton, então vice-líder do campeonato, ter problemas de pneus no fim e cair para a sétima posição. Jenson Button, companheiro do inglês na McLaren, acabou no segundo posto.

Nick Heidfeld, da Renault-Lotus, fez uma ótima corrida e chegou em terceiro, completando o pódio. O alemão resistiu à forte pressão de Mark Webber, da RBR, nas últimas voltas. O australiano, que sofreu com problemas no Sistema de Recuperação de Energia Cinética (Kers), teve de se contentar com a quarta posição. Com bom desempenho, Felipe Massa foi o quinto, apesar de um erro da Ferrari em seu primeiro pit stop. O carro parou após a bandeirada, mas o brasileiro chegou logo à frente do companheiro Fernando Alonso, sexto colocado após ter de trocar o bico no fim por um toque em Hamilton.

Vettel comemora a segunda vitória da temporada no pódio do GP da Malásia, em Sepang (Foto: agência AP)   Outro destaque da corrida foi o desempenho de Kamui Kobayashi, o oitavo. O japonês da Sauber travou uma animada disputa contra Michael Schumacher desde o início da prova e passou o heptacampeão duas vezes. O alemão da Mercedes foi o nono, uma posição à frente do escocês Paul di Resta, da Force India, que pontuou pela segunda vez em sua segunda corrida na F-1.

Rubens Barrichello, o outro brasileiro na prova, teve um domingo confuso e abandonou ainda na 23ª volta, com problemas de câmbio. O brasileiro da Williams foi tocado nas primeiras voltas, teve um pneu furado e perdeu muito tempo para chegar aos boxes. Ele disse ter ficado muito decepcionado com os problemas nas duas primeiras provas do ano, quando abandonou.

A próxima prova do Mundial de Fórmula 1 será o GP da China, no próximo domingo, dia 17 de abril. Vettel chega ao circuito de Xangai com 100% de aproveitamento, 24 pontos à frente de Button, o segundo colocado. Massa é o sexto, com 16, quatro atrás de Alonso, o quinto.

A corrida

Os preparativos para a largada começaram com forte possibilidade de chuva durante a corrida. O céu nublado e alguns pingos já com os carros no grid deixaram as equipes ligadas para possíveis trocas de pneus ainda na primeira parte da prova. Mas a volta de apresentação foi autorizada com tempo seco, com todos os pilotos com os slicks.

Na largada, Vettel conseguiu manter a ponta apesar da pressão de Hamilton na primeira curva. O inglês ficou encaixotado pelo alemão, o que permitiu a ultrapassagem de Heidfeld, que assumiu a segunda posição. Button ficou em quarto, embora muito pressionado por Petrov. Massa saltou bem e passou Alonso no início. O brasileiro era o sexto, uma posição à frente do espanhol. Outro destaque foi Schumacher, que subiu de 11º para oitavo na primeira volta.

Com Heidfeld em segundo, Vettel teve pista livre para abrir uma tranquila vantagem na primeira parte da corrida, antes do pit stop. Hamilton tentava pressionar o alemão da Renault-Lotus, mas sem muito sucesso. Em sexto, Massa tentava chegar em Button, mas conseguia se manter à frente de Alonso sem muito trabalho. Mais atrás, Barrichello sofria com um pneu furado, que o fez perder muito tempo e o forçou a fazer uma parada precoce nos boxes.

Na sexta volta, Massa conseguiu a ultrapassagem sobre Petrov e subiu para quinto. O russo ficou entre os dois pilotos da Ferrari, mas cometeu um erro no fim da volta e acabou superado também por Alonso. Webber, que tinha caído na largada, tentava iniciar sua reação, mas esbarrava em Kobayashi. O japonês chegou a perder a nona posição, mas deu o troco em seguida.

A primeira rodada de pit stops começou na 11ª volta, com Webber. Hamilton entrou duas passagens depois, uma antes de Vettel. Mais atrás, Heidfeld, Massa e Button fizeram suas paradas simultaneamente, mas o brasileiro ficou prejudicado por um erro da Ferrari na troca da roda dianteira esquerda e perdeu muito tempo. Acabou superado pelo companheiro Alonso.

Na frente, Vettel mantinha uma boa vantagem para Hamilton, que ganhou a segunda posição de Heidfeld após as paradas. O inglês começou a andar no mesmo ritmo do alemão da RBR, mas a vantagem permanecia na casa dos cinco segundos. Alonso ultrapassou Button e assumiu o quarto posto, com o campeão de 2009 sofrendo com o desempenho de sua McLaren.

Tentando se recuperar, Massa superou Webber na 22ª volta e assumiu a sexta posição. O australiano fez o segundo pit stop em seguida, assim como Button. Mais atrás, Barrichello, após três paradas, finalmente abandonou a corrida, com a quebra do câmbio da Williams. Sergio Pérez, destaque do GP da Austrália, também desistiu por problemas mecânicos.

Hamilton fez sua segunda parada na 24ª volta e apostou em uma tática diferente: colocou os pneus duros. Vettel entrou na seguinte e manteve os macios em seu carro. A McLaren tentava apostar em ter os compostos mais rápidos no carro do inglês na parte final da corrida. Só que o campeão de 2008 perdeu rendimento na metade da corrida, o que permitiu a chegada de Button e Alonso.

Massa entrou nos boxes na 28ª volta, mas não conseguiu recuperar a posição de Heidfeld. Em primeiro, Vettel mantinha a vantagem sobre Hamilton, mas a RBR pediu pelo rádio que ele não usasse o Kers, por receio da durabilidade do equipamento. Button, que vinha em segundo, recebeu ordens para acelerar e tentar reduzir a vantagem do alemão.

A última rodada de pit stops começou na 38ª volta, com a entrada de Hamilton. O inglês repetiu os pneus duros. Ele acabaria perdendo a posição para o companheiro Button, que ganhou tempo na pista e a segunda posição após as paradas. Vettel entrou na 42ª e manteve a ponta com muita tranquilidade, mais de sete segundos à frente.

Alonso fez a parada também na 42ª e voltou muito próximo de Hamilton, que perdia rendimento. O espanhol tinha problemas em sua asa móvel, que não funcionava a contento, mas tentou a ultrapassagem na 46ª. Entretanto, ele cometeu um erro, acertou o pneu traseiro direito do rival e quebrou sua asa dianteira. O incidente acabou forçando mais uma entrada nos boxes.

Após algumas voltas de disputa, Webber ultrapassou Massa na 50ª e subiu para o quinto posto. Enquanto isso, Hamilton tinha problemas de pneu, deu uma escapada e perdeu posições para o australiano e o brasileiro. O inglês teve de fazer uma parada extra na 53ª para colocar novos compostos e terminar a corrida. Com isso, ele caiu para a sétima posição.

Na frente e sem chuva, que não passou de uma ameaça ao longo da prova, Vettel apenas administrou a boa vantagem para Button nas últimas voltas e venceu com tranquilidade pela segunda vez seguida na temporada. Webber ainda tentou pressionar Heidfeld pelo terceiro posto, mas o alemão se manteve à frente e subiu ao pódio pela primeira vez no ano.

Confira o resultado final do GP da Malásia (310,408 quilômetros):

1 - Sebastian Vettel (ALE/RBR-Renault) - 56 voltas em 1h37m39s832

2 - Jenson Button (ING/McLaren-Mercedes) - a 3s261

3 - Nick Heidfeld (ALE/Renault) - a 25s075

4 - Mark Webber (AUS/RBR-Renault) - a 26s384

5 - Felipe Massa (BRA/Ferrari) - a 36s958

6 - Fernando Alonso (ESP/Ferrari) - a 37s248

7 - Lewis Hamilton (ING/McLaren-Mercedes) - a 49s957

8 - Kamui Kobayashi (JAP/Sauber-Ferrari) - a 1m07s239

9 - Michael Schumacher (ALE/Mercedes) - a 1m24s896

10 - Paul di Resta (ESC/Force India-Mercedes) - a 1m31s563

11 - Adrian Sutil (ALE/Force India-Mercedes) - a 1m45s000

12 - Nico Rosberg (ALE/Mercedes) - a 1 volta

13 - Sebastien Buemi (SUI/STR-Ferrari) - a 1 volta

14 - Jaime Alguersuari (ESP/STR-Ferrari) - a 1 volta

15 - Heikki Kovalainen (FIN/Lotus-Renault) - a 1 volta

16 - Timo Glock (ALE/MVR-Cosworth) - a 2 voltas

17 - Vitaly Petrov (RUS/Renault) - a 4 voltas/acidente Não terminaram:

Vitantonio Liuzzi (ITA/Hispania-Cosworth) - a 10 voltas/mecânico

Jerome D'Ambrosio (BEL/MVR-Cosworth) - a 14 voltas/mecânico

Jarno Trulli (ITA/Lotus-Renault) - a 25 voltas/embreagem

Sergio Pérez (MEX/Sauber-Ferrari) - a 33 voltas/mecânico

Rubens Barrichello (BRA/Williams-Cosworth) - a 34 voltas/câmbio

Narain Karthikeyan (IND/Hispania-Cosworth) - a 42 voltas/mecânico

Pastor Maldonado (VEN/Williams-Cosworth) - a 48 voltas/mecânico

Melhor volta: Mark Webber (AUS/RBR-Renault) - 1m40s571, na 46ª

veja também