MENU

Vice-presidente quer Coritiba entre os seis maiores clubes do Brasil

Vice-presidente quer Coritiba entre os seis maiores clubes do Brasil

Atualizado: Sexta-feira, 1 Abril de 2011 as 10:20

Colocar o Coritiba no seleto grupo dos seis maiores clubes brasileiros até o final de 2014. Esta meta traçada pela diretoria alviverde foi revelada por Vilson Ribeiro de Andrade, vice-presidente do clube, em sua participação no programa Camarote PFC.

O dirigente afirma que o clube precisa cumprir quatro quesitos básicos para atingir este objetivo em prazo tão curto. O primeiro é a manutenção por um longo período da comissão técnica. O segundo é a realização de investimentos em infraestrutura, tanto no centro de treinamento quanto no Estádio Couto Pereira.

- Já investimos quase um milhão de reais no estádio, inclusive na nova iluminação. Porque se você exige e cobra do torcedor, tem que dar conforto. O estádio tem que ser um local de lazer em que o torcedor passe o dia, almoce por lá e faça com que o jogo passe a ser apenas mais uma atração.

O terceiro passo para um futuro melhor é a reorganização financeira do clube, que permita investimentos na formação de equipes realmente competitivas. O quarto ponto, para o dirigente, é o crescimento da autoestima do associado ao clube.

- Temos que ter receitas maiores que despesas para poder fazer investimentos. No caso dos sócios, hoje nós temos 20 mil e o objetivo é chegar a julho, com 25 mil associados.

Se conseguir cumprir todas estas etapas, o Coritiba estará pronto para o passo ais significativo, que é o de entrada no rol dos gigantes do futebol brasileiro.

- Nós queremos estar entre os seis maiores clubes do Brasil. Se com isso vamos ser campeões, eu não sei, porque o futebol é imponderável. Mas se você estiver entre os seis, você vai ter maiores chances. Se não estiver, você nunca vai disputar nada.

Para justificar as metas ambiciosas, Andrade recorre ao passado recente do clube, na época em que assumiu o cargo de vice-presidente, com a missão de profissionalizar a gestão, no fim de 2009. O Coritiba havia acabado de cair para a Série B do Brasileirão, estava com estádio interditado, havia perdido dez mandos de jogo para a temporada seguinte e acumulava R$ 30 milhões em dívidas. Um ano depois o time comemorava o título da Série B e a recuperação das categorias de base com a Taça Belo Horizonte de Futebol Júnior.

- Assumimos o clube com estas dívidas e esperamos pagar todas elas até o final do ano que vem. Um clube saneado permite que você invista nas divisões de base, no centro de treinamento, na equipe profissional. Assumimos o clube após aqueles acontecimentos lamentáveis e foi a partir dali que se fez um planejamento para os cinco anos seguintes.      

veja também