MENU

Vitória em Mônaco faz Vettel igualar melhores inícios da história da F-1

Vitória em Mônaco faz Vettel igualar melhores inícios da história da F-1

Atualizado: Segunda-feira, 30 Maio de 2011 as 2:48

Impressionante. É assim que pode ser classificado o domínio de Sebastian Vettel após seis corridas na temporada 2011 da Fórmula 1. Com cinco vitórias, um segundo lugar em seis provas e 95% de aproveitamento dos pontos disputados, o alemão conseguiu igualar os melhores inicios de temporada (no mesmo número de GPs) da história da categoria, do inglês Nigel Mansell, em 1992, e do alemão Michael Schumacher, em 1994.

Se a espetacular sequência de vitórias de Vettel continuar, ele poderá bater o recorde obtido por Schumi em 2004, pela Ferrari. Na ocasião, o alemão triunfou em 12 das 13 primeiras corridas do ano e foi campeão por antecipação. Mas o piloto da RBR ainda está longe deste número: ele precisará de mais sete triunfos seguidos para igualar a marca no GP da Itália, em 11 de setembro. Na próxima corrida, no Canadá, no dia 12 de junho, Vettel poderá chegar ao número de Jenson Button, que triunfou em seis dos sete primeiros GPs de 2009 com a Brawn GP.

Vettel comemora vitória em Mônaco: alemão iguala melhor início de temporada da Fórmula 1 (Foto: Reuters)

  Por causa das mudanças no sistema de pontuação da Fórmula 1, apenas os dados absolutos podem ser analisados. Vettel, Mansell e Schumacher têm em comum o fato de terem contado com os melhores carros de suas temporadas. Com o RB7 assinado por Adrian Newey, o alemão da RBR venceu os GPs da Austrália, Malásia, Turquia, Espanha e Mônaco. Sua única derrota em 2011 foi causada pelo inglês Lewis Hamilton, da McLaren, que o superou na corrida disputada na China.

Nigel Mansell, em 1992, pilotava a Williams FW14B, que tinha vários auxílios eletrônicos à bordo. O carro projetado por Adrian Newey e Patrick Head tinha uma aerodinâmica refinada para a época. Além disso, contava com a suspensão ativa - que fazia o modelo variar de altura de acordo com as ondulações do circuito - e o controle de tração, que impedia as rodas traseiras de patinarem. Isso sem falar no câmbio semiautomático, que já usava uma pré-programação para cada pista. O inglês venceu os GPs da África do Sul, México, Brasil, Espanha e San Marino. A única derrota aconteceu em Mônaco, quando Ayrton Senna triunfou segurando a pressão no fim.

Dois anos depois, em 1994, a Fórmula 1 viu um domínio parecido, mas em circunstâncias diferentes. À bordo do Benetton B194 de Rory Byrne e Ross Brawn, Michael Schumacher também venceu cinco das primeiras seis provas. Na ocasião, todos os auxílios eletrônicos foram banidos da categoria, que viveu um de seus piores momentos com as mortes de Roland Ratzenberger e Ayrton Senna no fim de semana em Imola. Na ocasião, o alemão venceu no Brasil, Pacífico (Aida), San Marino, Mônaco e Canadá; e foi o segundo na Espanha, atrás de Damon Hill, da Williams.       Títulos de Mansell e Schumacher vieram de formas distintas

Os bons inícios de Nigel Mansell e Michael Schumacher acabaram levando aos títulos de 1992 e 1994, mas eles vieram de formas distintas. O inglês da Williams fez uma temporada em ritmo de cruzeiro e sagrou-se campeão com muita antecipação, na 11ª corrida do ano: o GP da Hungria. Ele encerraria a temporada com nove triunfos, mas não teve seu contrato renovado pela equipe. Mansell acabaria, em 1993, na equipe Newman-Haas da Fórmula Indy.

Dois anos depois, Schumacher começou o ano bem, mas teve várias dificuldades ao longo do ano. Ele foi desclassificado dos GPs da Inglaterra e da Bélgica por irregularidades em seu carro. Além disso, foi suspenso das corridas na Itália e de Portugal. Ainda assim chegou em vantagem na última prova, na Austrália, contra Damon Hill. Após errar e acertar o muro, ele jogou o carro para cima do rival e ambos saíram da prova. O alemão levava seu primeiro título.        

veja também