MENU

'Xodó relâmpago', Bruno César já é o 2º artilheiro da década no Timão

'Xodó relâmpago', Bruno César já é o 2º artilheiro da década no Timão

Atualizado: Quarta-feira, 8 Dezembro de 2010 as 9

Bruno César precisou de apenas sete meses para fazer história no Corinthians. Contratado do Santo André como uma incógnita, o meia explodiu com a camisa alvinegra. Em um elenco recheado de estrelas e de altos salários, o jogador superou todas as expectativas sobre seu futebol e entrou para a história como o segundo maior artilheiro do clube na década em Campeonatos Brasileiros.

Nos últimos dez anos, Bruno César só fez menos gols que um dos maiores ídolos da Fiel: Carlitos Tevez. O meio-campista balançou as redes 14 vezes nesta edição, sendo superado somente pelo argentino campeão nacional em 2005. Naquela competição, o Hermano anotou 20 gols.

Quem mais se aproximou dele neste período foi o centroavante Guilherme. Em 2002, o atacante fez 13 gols no Brasileirão. Naquele ano, o Timão acumulou a terceira melhor campanha da primeira fase e chegou à decisão contra o Santos, mas não foi páreo para o time liderado pelos até então meninos Diego e Robinho.

Logo abaixo surgem dois centroavantes que viveram momentos distintos no Parque São Jorge: Finazzi e Ronaldo, com 12 anotados. O primeiro foi um dos poucos destaques da equipe rebaixada em 2007. Já o segundo chegou com status de ídolo e acabou como o artilheiro da equipe no torneio do ano passado. Em 2003, Liedson marcou dez vezes.

Os outros artilheiros ficaram distantes de Bruno César. Em 2001, o meia Ricardinho balançou as redes somente sete vezes na competição, um a menos que Jô em 2005. Na temporada seguinte, foi a vez de Rafael Moura ter um desempenho não muito animador, também com somente sete gols.

Bruno César, aliás, alimentou o sonho da torcida corintiana em ter o primeiro artilheiro na história do Brasileirão. Desde 1971, o Timão nunca conseguiu emplacar o goleador máximo. Desta vez, o meio-campista chegou a brigar diretamente com Jonas, mas acabou ficando para trás. O centroavante gremista terminou o torneio com 23. Em segundo, veio Neymar, do Santos, com 17.

Por: Carlos Augusto Ferrari

veja também