MENU

Xodó tricolor, João Filipe curte boa fase e projeta duelo com Neymar

Xodó tricolor, João Filipe curte boa fase e projeta duelo com Neymar

Atualizado: Sexta-feira, 26 Agosto de 2011 as 3:40

Na gíria do futebol, pode-se dizer que João Filipe chegou ao São Paulo em uma tremenda “roubada”. O time do Morumbi, comandado por Adilson Batista, não tinha zagueiro para escalar ao lado de Rhodolfo na partida contra o Avaí, que seria realizada no dia 7 deste mês, um domingo, em Florianópolis. Dois dias antes, depois de treinar pelo Botafogo, o beque de 22 anos recebeu a notícia que deveria se apresentar ao Tricolor na manhã seguinte. Chegou, fez meia hora de treino e foi para o jogo. Passados 19 dias e cinco jogos disputados, o camisa 21 virou titular e o novo xodó da torcida. Na vitória de 3 a 0 sobre o Ceará, na última quarta-feira, a cada desarme ou carrinho dado, os são-paulinos presentes no Morumbi aplaudiram o beque.

Essa mudança repentina fez João Filipe se assustar no início. Hoje, com a companhia da mulher Juliana e da filha Ana Beatriz, ele curte o ótimo momento.

João Filipe com a mulher Juliana e a filha Ana Beatriz (Foto: Marcelo Prado / GLOBOESPORTE.COM)

  - Sou um cara que até 2009 só havia jogado em time pequeno. E aí você dorme uma noite no Botafogo e, na manhã seguinte, está no São Paulo. Isso mexe com qualquer um. Ainda mais porque sabia que iria estrear sem sequer ter treinado. Mas fiz o que sei, joguei com simplicidade e pude ajudar. Hoje, se estou agradando ao torcedor, é sinal de que estou fazendo bem feito a minha função – afirmou o defensor, que recebeu a reportagem do GLOBOESPORTE.COM na manhã desta sexta-feira em seu apartamento (que é alugado pelo clube e vinha servindo de moradia para o ex-técnico Paulo César Carpegiani), no bairro de Perdizes, zona Oeste da capital.

João Filipe é um zagueiro que tem técnica para sair jogando. Porém, com seu 1,90m, não tem a menor vergonha de dar bicões para onde está virado em caso de necessidade.

João Filipe virou titular da zaga do São Paulo

(Foto: Gaspar Nóbrega/VIPCOMM)

  - Minha função é ser zagueiro. Sei sair jogando, mas também sei que sou o último homem antes do Rogério. E, se brincar e perder a bola, o atacante ficará na cara do gol e posso prejudicar. Por isso, chuto mesmo, não brinco, isso não é vergonha para nenhum zagueiro. O Lúcio, que está na Seleção, faz isso quando é preciso. Se eu só der bicos e meu time não tomar gols, está bom demais – disse.

O curioso desse “beque de fazenda” é que João Filipe começou a carreira como atacante, defendendo o time da favela da Vila Andrada no campeonato de favelas do Rio.

- Era atacante. Na época tinha 15 anos e lembro que só não disputei a final do torneio porque não tinha identidade. De lá, fui para o Mesquita, onde fui recuado para a zaga. Como podia dar lançamentos e era alto, acabei me fixando nessa função. Em 2009, fui para o Figueirense e fiquei até o fim de 2010, quando cheguei ao Botafogo – contou.

  De fala tímida, João Filipe diz que se transforma em campo. Mostra personalidade, grita e também escuta muito os conselhos do goleiro e capitão Rogério Ceni. Ele sabe que a boa fase será colocada à prova no clássico de domingo contra o Santos, quando ele terá a joia Neymar pela frente.

- Sem dúvida, será muito complicado. O problema de marcar o Neymar é que ele deve ter mola no corpo, não é possível. Quando vai para um lado e você parte para dar o bote, ele gira para o outro - brincou João Felipe.

- É o melhor atacante do futebol brasileiro e, se mantiver esse caminho, tem tudo para se consagrar. Eu vou entrar com a mesma seriedade para ajudar o São Paulo. Vamos jogar na casa do adversário, mas temos condições de nos impor. Se eles têm Neymar, Ganso, Elano, nós temos Lucas, Dagoberto, Rivaldo e outros que podem decidir – emendou o zagueiro.

Filha de João Filipe põe a mão na barriga da mãe

(Foto: Marcelo Prado / GLOBOESPORTE.COM)

  Conquista fora das quatro linhas

Se em campo João Filipe se destaca e começa a ganhar a torcida do São Paulo, fora dele o zagueiro se prepara para mais um título. Pai de Ana Beatriz, de dois anos, ele aguarda para outubro a chegada de Ana Luíza.

- Rapaz, a ansiedade é igualzinha à da primeira vez. Todos estão na expectativa que venha com saúde como a primeira. Só espero que seja menos bagunceira. Ana é fogo, viu? Ontem mesmo quando estávamos saindo para o cinema, na hora que cheguei na sala, ela estava desenhando na minha camisa. Pode isso? - contou o pai, todo sorridente.

Sobre o futuro, João Filipe usa o lema "deixa a vida me levar". Tem contrato com o São Paulo até dezembro, e o vínculo com o Botafogo termina apenas em 2016. Hoje, até pela sequência de oportunidades que vem tendo, o que não acontecia em General Severiano, ele diz que gostaria de continuar no Morumbi por mais tempo.

- No início do ano, com o Joel Santana, disputei 18 das primeiras 20 partidas da equipe. Depois, com a chegada do Caio Júnior, eu perdi espaço, já que ele pediu a contratação de outro beque, o Gustavo. Mas eu não tenho de reclamar. Ao fim do contrato em dezembro, as duas partes teriam de negociar um novo acordo. Só posso dizer que hoje estou muito feliz no São Paulo - concluiu.          

veja também