MENU

Zagallo cobra hexa no Brasil: 'Ganhar custe o que custar'. Mano pede calma

Zagallo cobra hexa no Brasil: 'Ganhar custe o que custar'. Mano pede calma

Atualizado: Segunda-feira, 9 Maio de 2011 as 4:05

Parreira, Zagallo e Mano durante evento na Zona Sul(Foto: André Durão / Globoesporte.com)

  O técnico Mano Menezes ouviu uma cobrança forte pela conquista do hexacampeonato mundial em 2014. As palavras foram de ninguém menos do que Mário Jorge Lobo Zagallo, quatro vezes campeão do mundo (1958 e 1962, como jogador, 1970, como treinador, e em 1994, como coordenador) em evento realizado pelo jornal "O Globo", no hotel Windsor, em Copacabana, Zona Sul do Rio de Janeiro. O debate também contou com a presença de Carlos Alberto Parreira, vencedor do Mundial em 1970, como preparador físico, e também em 1994, nos Estados Unidos, como o comandante.

- Não podemos perder essa Copa mais uma vez dentro de casa. A bomba está na mão do Mano. Estou a favor dele. Todos ganharam. Só nós ganhamos fora? Temos que saber ganhar em casa o que nós não ganhamos. O Mano está em uma situação difícil. Temos que ganhar custe o que custar. Eu gostaria de estar dentro dessa. Quando pior a coisa, eu gosto de estar dentro - afirmou o ex-treinador da Seleção Brasileira, citando a Alemanha de 1974 como exemplo a ser seguido no futuro. 

Mano preferiu não falar em conquista com a mesma veemência do Velho Lobo. Para o atual comandante do time canarinho, o trabalho precisa ser bem feito para que os frutos possam ser colhidos no Brasil em 2014.

- Penso que vamos criando uma ideia firme. Criando essa força que a Alemanha teve lá atrás para afirmar de profissional para profissional e falar: "nós vamos ganhar a Copa". Não é só uma frase efeito. Não temos a firmeza de pronunciar essa frase se nos próximos três anos um trabalho bem feito não te dê uma firmeza para ela se concretizar. Quando perdemos uma competição sempre achamos que perdemos para nós. Nós perdemos para outros, que também tiveram o mérito da conquista.

Perdemos porque achamos que alguém falhou, sempre se cita o Barbosa, mas é uma injustiça. Perdemos para um Uruguai muito forte - afirmou Mano, concordando que o time canarinho precisará de uma mescla de experiência com juventude. Parreira também entrou na discussão. Na opinião do comandante do tetracampeonato, os brasileiros precisam ter paciência para conquistar o hexa.

- Deveria ser favorável a presença da torcida na Copa, com os seus amigos, familiares, mas o brasileiro é impaciente, a imprensa cobra demais. Teremos que ter um time maduro, bom tecnicamente, para impor isso. Já perdemos uma Copa em casa e não nos permitiremos perder outra. Acho positivo porque o jogador vai entrar na ponta da faca para ganhar. Como fez a Alemanha em 74. Eles ganharam de um time difícil, que era a Holanda. Pode ser uma faca de dois gumes. Vamos ter que nos educar para ajudar o Mano nessa tarefa. Em vez de vaias, aplausos. Vamos ter paciência. Torcedor vai precisar ter paciência, entender que a Copa é difícil e não se pode errar. A partir das oitavas, errou, volta para casa.      

veja também