MENU

Boca se impõe em Santiago, elimina La U e encara o Corinthians na final

Boca se impõe em Santiago, elimina La U

Atualizado: Sexta-feira, 22 Junho de 2012 as 8:39

A tradição prevaleceu novamente. Pela décima vez em sua história, igualando a marca recorde do Peñarol (URU), o Boca Juniors (ARG) está na decisão da Taça Libertadores da América e será adversário do Corinthians, que debutará na final da competição. Depois de vencer por 2 a 0 em Buenos Aires, o clube argentino visitou o Universidad de Chile (CHI), nesta quinta-feira, no Estádio Nacional de Santiago, e segurou o empate por 0 a 0, resultado suficiente para a garantia de uma vaga na finalíssima.

Os dois jogos diante do Timão serão disputados nas próximas quartas-feiras. No dia 27, os clubes se enfrentam em La Bombonera, na Argentina. No dia 4 de julho, o Boca vem a São Paulo encarar o Corinthians no Pacaembu.

A necessidade de inverter a desvantagem de, no mínimo, dois gols fez com que o Universidad de Chile entrasse para o confronto bem distante da sua tranquilidade habitual. Característica marcante do time chileno, o toque de bola mal foi visto na etapa inicial. Isso pesou para o rendimento da equipe treinada por Jorge Sampaoli, que teve desempenho muito aquém do que vinha apresentando desde a temporada passada, quando foi campeã da Copa Sul-Americana.


Numa estratégia inteligente, a calejada equipe do Boca Juniors bloqueou bem as jogadas pelas laterais e explorou os contra-ataques, principalmente com os precisos lançamentos de Riquelme. Soberano em campo, o camisa 10 distribuia passes na medida para os atacantes Mouche e Santiago Silva, que revezavam na incrível tarefa de perder gols. Em um desses toques de classe, Riquelme iniciou a jogada e apareceu para concluir. Porém, o craque foi barrado pela lnda defesa de Herrera, que espalmou antes de a bola explodir no travessão.


Resignado com o domínio argentino, o Universidad de Chile só conseguiu assustar nos 45 minutos iniciais da maneira em que menos se esperava: a jogada aérea. Em um lance isolado, Rodríguez lançou pelo alto e Junior Fernandes subiu mais do que Schiavi para obrigar Orion a uma espetacular intervenção.

veja também