MENU

Em despedida de Milton Cruz, São Paulo faz bonito em casa e vence o Coritiba

Sob o olhar de Ney Franco, São Paulo bate o Coritiba

Atualizado: Domingo, 8 Julho de 2012 as 6:46

O São Paulo segue sua escalada no Campeonato Brasileiro. Na partida que marcou as despedidas do interino Milton Cruz, já que Ney Franco se apresentará nesta segunda, e Lucas, que vai para as Olimpíadas de Londres, o time aproveitou-se de um Coritiba reserva e venceu por 3 a 1, no estádio do Morumbi. Na base da velocidade, o time dominou a maior parte do duelo e agradou o seu novo técnico, que assistiu ao jogo em um camarote do estádio do Morumbi.


Foi a segunda vitória consecutiva do Tricolor, que entrou no G-4 da competição. O time foi aos 15 pontos, três a menos que o líder Fluminense, e chegou ao quarto lugar na tabela. A equipe tem a mesma pontuação do Internacional, mas leva vantagem por ter uma vitória a mais. Já o Coritiba, que sofreu sua quinta derrota em oito partidas, caiu para 16º, com sete pontos e se aproximou da zona de rebaixamento.

Pelo Campeonato Brasileiro, as duas equipes voltarão a campo no próximo final de semana. No domingo, o São Paulo fará o clássico paulista da rodada contra o Palmeiras, em partida marcada para a Arena Barueri. Já o time paranaense, que na quarta decide a Copa do Brasil contra o Palmeiras, buscará a reabilitação no nacional contra a Ponte Preta, sábado, em Campinas.

Na base da velocidade, Tricolor abre vantagem no Morumbi


O São Paulo iniciou a partida como se fosse um rolo compressor. Sem Luis Fabiano, suspenso, Milton Cruz, que fazia sua última partida como técnico interino, apostou na velocidade e deu uma chance ao baixinho Osvaldo. Rodrigo Caio, outra novidade na equipe, tinha liberdade para flutuar entre o meio-campo e a defesa, para fazer o zagueiro da sobra. No Coritiba, como já era esperado, Marcelo Oliveira mandou a campo um time com apenas um titular, já que na quarta a equipe decide a Copa do Brasil diante do Palmeiras. E Emerson só entrou em campo porque está suspenso do duelo do meio de semana.
O curioso é que antes da partida começar, a torcida são-paulina já botou pressão na equipe. No primeiro encontro em casa após a eliminação da Copa do Brasil, logo surgiram os gritos nas arquibancadas.
- Raça, raça, raça, raça.


Dentro de campo, o time correspondeu. Osvaldo, no primeiro ataque, só não marcou porque foi desarmado por Lucas na hora do chute. Logo depois, Bruno Fuso fez bela defesa em cabeçada de Edson Silva. O Tricolor pressionava a saída de bola paranaense e, em uma roubada de bola, abriu o marcador. Aos 14, Douglas roubou a bola de Chico e tocou para Jadson, que de pé direito, acertou o ângulo de Bruno Fuso: 1 a 0 no marcador.
A partir dos 20, a partida mudou de figura. Em vantagem, o São Paulo diminuiu seu ritmo para tentar encaixar um contra-ataque, enquanto que o Coritiba foi obrigado a sair para o jogo. Aos 23, Anderson Aquino, após passe de Tcheco, só não empatou porque Denis fez grande defesa. A partir do momento em que o time paranaense começou a jogar, a marcação tricolor começou a dar vacilos. Rodrigo Caio foi definitivamente colocado como volante.


Junior Urso, aos 35, assustou em chute cruzado. No momento em que o Coritiba já tinha mais posse de bola, o São Paulo marcou o segundo gol. Osvaldo recebeu de Maicon pela esquerda, foi ao fundo e cruzou para Maicon, que bateu de pé esquerdo, rasteiro, sem chance para Bruno Fuso: 2 a 0.

Osvaldo desencanta no segundo tempo

Os dois times voltaram sem alterações para o segundo tempo. A etapa complementar recomeçou com o São Paulo tendo o controle total da partida. Com Tcheco e Lincoln bem vigiados, ficava difícil para o Coritiba levar perigo ao gol defendido por Denis. O único ataque perigoso surgiu aos 17, quando Anderson Aquino exigiu boa defesa do arqueiro tricolor.


No ataque, os donos da casa chegavam fácil, mas pecavam nas finalizações de fora da área. Irritado com a equipe, Marcelo Oliveira tentou dar novo gás ao time com a entrada de Thiago Primão na vaga de Lincoln. Depois, Alex Santos entrou no lugar de Tcheco. Aos 18, Osvaldo, após passe açucarado de Lucas, acertou a trave direita de Bruno Fuso em chute de pé esquerdo.


O jogo parecia estar controlado. Até que aos 26, a defesa do São Paulo resolveu dar nova emoção ao jogo. Cortez recuou a bola para Edson Silva, que ao tentar chutar a bola para longe, não percebeu a antecipação de Alex Santos, que foi derrubado na área. Pênalti que Robinho bateu no canto direito de Denis para fazer 2 a 1. Na sequência, o São Paulo só não fez o terceiro porque Bruno Fuso fez grande defesa em chute de Jadson e, na sobra, Osvaldo, sem goleiro, cabeceou para fora.


Percebendo o crescimento do adversário, que se animou com o gol, Milton Cruz mexeu na equipe, colocando Casemiro e Cícero nas vagas de Rodrigo Caio e Maicon. O Coxa fez sua terceira mudança, com Rafael Silva no lugar de Anderson Aquino. Como no etapa inicial, no momento em que o Coritiba era melhor, o São Paulo fez o terceiro gol e matou a partida: Lucas deu nova assistência para Osvaldo, que avançou e tocou no canto direito de Bruno Fuso. Na sequência, o autor do gol deixou o campo para a entrada de Fernandinho.
Com o placar definido, foi só esperar o tempo passar e comemorar.

veja também