MENU

Fla caminha a passos lentos para ganhar dinheiro com Ronaldinho.

Flamengo caminha a passos lentos para ganhar dinheiro.

Atualizado: Quinta-feira, 10 Maio de 2012 as 9:31

Ao anunciar o rompimento com a Traffic, em fevereiro, a presidente Patricia Amorim alegou que os gastos mensais de R$ 1,25 milhão com Ronaldinho Gaúcho seriam compensados com o uso da imagem do jogador. Três meses se passaram e nenhuma ação de marketing, novo produto ou participação do jogador em eventos do clube foi concretizada. Irmão e empresário do camisa 10, Roberto Assis admite que o processo é complicado; pelo lado do Rubro-Negro, o discurso segue banhado de otimismo e projeções, mas, na prática, pouca coisa acontece.

- Hoje, existe um contrato entre Ronaldo e Flamengo. Há três, quatro meses que assinamos. Já tem uma série de contratos de licenciamento de produtos. Existe uma demanda grande pela marca Flamengo e Ronaldo. Para fazer as ações, precisa ter uma equipe comercial que faça venda. Depois do rompimento do Flamengo com a Traffic, voltamos à estaca zero – afirmou Assis.

No ano passado, o primeiro produto lançado foi um boneco em miniatura de Ronaldinho, que só começou a ser vendido em setembro, nove meses depois do acerto com o jogador. Até fevereiro da atual temporada, um memorando sustentava a parceria entre Flamengo e Traffic desde a chegada do camisa 10. Quando sentaram para assinar o contrato, a empresa quis renegociar questões técnicas ligadas a patrocínios, licenciamento de produtos e ao futuro programa de fidelidade para o torcedor e esbarrou em resistências do clube, principalmente do departamento de marketing. Isso explica a demora para chegar a um acordo.
Com a saída da Traffic, seguem as conversas, planos no papel, mas sem produtos nas prateleiras para o torcedor nem a imagem de Ronaldinho sendo usada para expor a marca do Flamengo.
- Teve atraso em coisas do Ronaldo. O modelo anterior era dividido em três partes: Ronaldo, a Traffic e o Flamengo para fechar qualquer tipo de parceria ou produto. Hoje, ficou mais fácil, só Flamengo e Ronaldo. Já tínhamos fechado produtos anteriores, o bonequinho está à venda, mochila, boné, toalhas. Mas não pode dizer assim: está dada a largada e o produto está no mercado. Os processos de produção e a maneira de chegar ao mercado são diferenciados – justificou o vice-presidente de marketing do Flamengo, Henrique Brandão.
A ideia do clube é, além de licenciar produtos, usar a imagem de Ronaldinho em eventos do clube.
- As coisas com o Ronaldo estão acontecendo aos poucos. Em 2011, foi um ano baseado em licenciamentos, mas muito pouco licenciamento porque o entendimento da Traffic em relação ao Flamengo era diferente do nosso em termos de valores de mercado, garantias mínimas, o que impediu que alguns produtos fossem lançados. Estamos abrindo o ano de 2012, já fizemos uma apresentação a Ronaldo e Assis de uma linha de quatro ou cinco produtos que possam explorar a imagem do Ronaldo de outra forma, pois ela não pode se limitar a produtos licenciados. É o que nós explicamos e eles entenderam. Não se fica rico com licenciamentos, é uma forma de aproximação do ídolo com a torcida. Estamos em fase de contrato para que possamos lançar – explicou o diretor de marketing rubro-negro, Marcus Duarte.
Mas toda e qualquer intenção ou ação do clube precisa do aval de Assis e Ronaldo.

veja também