MENU

Goiás quebra invencibilidade do Galo no ano e garante boa vantagem

Goiás quebra invencibilidade do Galo por 2 a 0

Atualizado: Quinta-feira, 26 Abril de 2012 as 8:25

O Goiás mostrou que é mesmo um adversário indigesto para o Atlético-MG na Copa do Brasil. Depois de já ter eliminado o time alvinegro nas três vezes em que se enfrentaram na competição anteriormente, o time esmeraldino encaminhou bem a classificação ao vencer o Galo por 2 a 0, na noite desta quarta-feira, no Serra Dourada, no jogo de ida das oitavas de final.

Foi a primeira derrota do Atlético-MG no ano, depois de 14 partidas de invencibilidade. Os gols do Goiás foram de Rafael Toloi e Ricardo Goulart, um em cada tempo. Na quinta-feira da semana que vem, dia 3, o Galo terá que vencer por três gols de vantagem para se classificar. O Goiás passa às quartas mesmo se perder por dois de diferença, desde que marque pelo menos um no Independência. Vitória mineira por 2 a 0 levará a decisão para os pênaltis.

Mas, antes, os dois times dão um tempo na Copa do Brasil e voltam suas atenções para os respectivos campeonatos estaduais. O Galo entra em campo no sábado, às 18h30m (de Brasília), na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas, contra o Tupi. O time alvinegro precisa apenas de um empate para chegar à final, já que empatou em 1 a 1 no jogo de ida e tem a vantagem de dois resultados iguais por ter feito a melhor campanha da primeira fase. Já o Goiás enfrenta o Vila Nova no domingo, às 16h, novamente no Serra Dourada. Pode até perder por um gol de diferença que se classifica para a finalíssima, pois ganhou por 1 a 0 no confronto do último fim de semana.

Toloi centroavante

Cuca mexeu no Atlético-MG para a partida. Deixou no banco de reservas o meia Bernard, poupado por fadiga muscular, e escalou Escudero para atuar ao lado de Danilinho na armação. Fillipe Soutto ganhou uma chance na equipe na vaga de Guilherme e atuou com a camisa 10, apesar de ser volante de origem.

O Goiás aproveitou a chance de jogar em casa e começou pressionando. Chegou ao gol logo aos 11 minutos. Luiz Eduardo fez falta em Iarley, e Egídio cobrou na trave. No rebote, Rafael Toloi concluiu para as redes.

O Atlético-MG não se intimidou e teve chance de empatar com André, em cabeçada após escanteio, mas o veterano Harlei mostrou porque segue como ídolo da torcida esmeraldina e fez difícil defesa, tirando com o pé, no reflexo, a bola que sobrou na pequena área.

Mas, aos poucos, o Galo foi demonstrando um problema que dificultava as ações ofensivas: a falta de articulação no meio-campo. O Goiás tocava a bola e, com o placar a seu favor, apostava nos contra-ataques. Só que os excessivos erros de passes das duas equipes fizeram com que o placar não se alterasse mais até o intervalo.

Falha de Ricky e gol de Goulart

O Galo voltou para o segundo tempo com Bernard no lugar de Fillipe Soutto. O técnico Cuca viu que a equipe necessitava de velocidade, já que agrediu pouco o Goiás na primeira etapa.

Já Enderson Moreira não mudou o esquema inicial, com os três meias e Iarley na frente. E foi novamente o Goiás que marcou. Após falha de Richarlyson, que tentou sair jogando na defesa e perdeu a bola para Peter, Ricardo Goulart só completou o cruzamento vindo da direita, logo aos cinco minutos.

Com o gol, Cuca foi para o tudo ou nada. Colocou Neto Berola no lugar de Marcos Rocha. O Galo melhorou com as mudanças e passou a agredir mais o gol de Harlei. Chegou a marcar duas vezes, porém, a arbitragem anulou os lances, marcando corretamente impedimento de André e toque de mão de Escudero.

Com a melhora alvinegra, Enderson tirou Iarley, cansado, e colocou Felipe Amorim. Cuca, na sua última alteração, trocou Escudero por Mancini. Mas a reação alvinegra foi interrompida com a expulsão do jovem Bernard. Em menos de cinco minutos, ele fez duas faltas e foi para o vestiário mais cedo.

Com a desvantagem numérica e no placar, o Galo começou a errar muitos passes. O Goiás administrou a vantagem, tomando cuidado para não ficar exposto e sofrer gol. Ao fim, garantiu uma boa vantagem para o jogo de volta.

veja também