MENU

No Canindé, Vasco vence a Portuguesa com golaço de Alecsandro

No Canindé, Vasco vence a Portuguesa com golaço de Alecsandro

Atualizado: Domingo, 27 Maio de 2012 as 8:31

Jogando no estádio do Canindé, diante de sua torcida pela primeira vez desde o retorno à Série A do Campeonato Brasileiro, a Portuguesa inovou com a formação 3-5-2 e também com o futebol envolvente para cima do Vasco, ainda ‘de ressaca’ após a eliminação na Copa Libertadores, na última quarta-feira, pelo Corinthians. O problema é que a estrela do atacante Alecsandro brilhou aos 20 minutos do primeiro tempo e a equipe carioca venceu fora de casa, por 1 a 0.

Mesmo com a visita do recém-contratado Dida, que treinou em dois períodos no Canindé e ficou no estádio para a partida da nova equipe, sendo aplaudido de pé pela torcida lusitana, a equipe não teve poder de reação. No segundo tempo, principalmente, eram muitas chances criadas, mas sem ninguém para concluir. Quando aparecia, dava errado. Não era dia da Lusa.

Confira a classificação atualizada do Brasileirão 2012

O Jogo A Lusa começou a partida com a estratégia definida de ocupar espaços dentro do campo de defesa do Vasco, forçando o adversário ao erro, e não permitir que Éder Luis e Diego Souza tivessem liberdade para armar a equipe visitante. Com três zagueiros, a exposição foi quase nula no primeiro tempo. Mas quando aconteceu, foi fatal para o time paulista.

 

Aplicado taticamente, o Vasco esperou que a Portuguesa desperdiçasse uma série de oportunidades para abrir o placar e administrar a partida a partir de um único lance. Logo aos três minutos, Raí serviu Ricardo Jesus em profundidade e o camisa 9 da Portuguesa bateu forte, para desvio de Renato Silva. Na batida de Raí no escanteio, o Vasco fez o corte, mas a bola sobrou para Ananias, na entrada da área. O tiro saiu forte e Fernando Prass defendeu no meio do gol.

Diego Souza tentava organizar o meio-campo vascaíno, mas a marcação da Lusa era forte na saída de bola e a única solução eram bolas levantadas. Dominar a partida, de certa forma, acomodou o time da Portuguesa, que levou o primeiro gol aos 20 minutos. E não foi um mero gol. Foi de placa.

Após passe de Diego Souza, Fagner fez cruzamento do lado direito do ataque e Alecsandro se posicionou à frente de Gustavo para acertar uma bicicleta monstruosamente perfeita. O atacante vascaíno marcou um belo gol, seu segundo só no Campeonato Brasileiro, para espantar de vez a ‘zica’ da eliminação da Copa Libertadores, quarta-feira, diante do Corinthians.

O Vasco era pressionado pela Portuguesa, que sabia se movimentar no campo ofensivo e contra-atacar no momento certo. Quando a Lusa se aproximava do primeiro gol, o atacante do Vasco acertou um lindo lance e deixou a equipe visitante à frente do marcador. O gol do inesperado.

Por mais que a Lusa tentasse se mostrar fria, o gol abalou os comandados de Geninho, que demoraram a reagir. Aos 26 minutos, Ricardo Jesus ficou sozinho na grande área do Vasco, sem a ajuda dos companheiros. O 9 da Lusa ainda deu sorte com o desvio de Rodolfo, mas nada aconteceu em mais uma cobrança de escanteio de Raí. No lance seguinte, Boquita desarmou Diego Souza e partiu para o campo de ataque. Ananias não acompanhou e o passe saiu para ninguém.

Com tudo sob seu controle, o Vasco tentava partir na velocidade de Éder Luis, mas a Lusa apertou a marcação na saída de bola. A formação com três zagueiros dava resultado, sem espaço para o Vasco avançar. Reintegrado ao elenco e fazendo sua reestreia com a camisa da Lusa, Gustavo foi o melhor homem da defesa lusitana.

Aos 36 mintuso, Éder Luis saiu em disparada na frente de Léo Silva e serviu Diego Souza no meio da área. O camisa 10 olhou para o lado e já tocou rápido para Alecsandro, em bela triangulação do cruz-maltino. Quando o autor do gol recebeu, fintou a marcação e bateu colocado, rente à trave de Gledson.

A Lusa pecava pela falta de criatividade, mas ainda teve uma boa chance aos 44, quando Henrique e Ananias fizeram tabela na diagonal da entrada da área e o meio-campista obrigou Fernando Prass a praticar boa defesa em tiro forte. Após um minuto de boa marcação do Vasco, o primeiro tempo foi encerrado no Canindé.

Na etapa complementar, a Lusa manteve a tendência do primeiro tempo e se manteve no campo de ataque. Logo aos três minutos, Raí cobrou escanteio na primeira trave e Luis Ricardo apareceu, em jogada ensaiada, para bater por cima do gol de Fernando Prass. Aos seis minutos, já com Douglas no lugar do lesionado Rodolfo do lado do Vasco, a Lusa chegou outra vez, agora com passe preciso de Luis Ricardo para Ananias, que puxou a bola para o lado esquerdo e bateu colocado, rente à trave de Fernando Prass, e à la Iniesta.

Conformado com a vantagem, o Vasco era pressionado pela Portuguesa, que aparecia no campo ofensivo e ameaçava a vitória parcial dos cariocas. Naquele momento, Geninho promoveu as entradas de Michael, para dominar o setor de meio-campo e Rodriguinho, para aumentar a velocidade no ataque no lugar de Ricardo Jesus.

Aos 18 minutos, a Portuguesa fez boa triangulação dentro da área do Vasco, com passe preciso de Boquita para Michael, que levou carrinho frontal de Douglas. Heber Roberto Lopes não entendeu o lance como falta e a bola seguiu rolando. A torcida da Lusa viu o time atacando o Vasco e aumentou o volume dos gritos, apoiando a equipe em busca do gol de empate.

Luis Ricardo avançou ao campo de ataque e fez passe preciso para Rodriguinho, que fintou e deslocou Fernando Prass, que mandou a bola para escanteio. Raí cobrou por cima do gol vascaíno. Cinco minutos mais tarde, aos 28, Luis Ricardo fez boa jogada pela direita do ataque e cruzou para o meio da área. Rodriguinho fez o pivô e deixa a bola livre. Sem atacante de referência, a Lusa perdeu mais essa chance.

Aos 31 minutos, Luis Ricardo levantou a bola na área, Ananias envolveu a marcação e Rodriguinho balançou as redes. O assistente acabou marcando impedimento de Ananias, que participou da jogada. Naquele momento da partida, a Portuguesa tinha chances demais e poder de fogo de menos para empatar a partida.

O massacre dos últimos minutos, com chances desperdiçadas por Ananias, em chute interceptado pelo companheiro Vandinho, e Gustavo, de cabeça após cobrança de escanteio, não foi suficiente para a Portuguesa igualar o marcador.

FICHA TÉCNICA PORTUGUESA 0 X 1 VASCO

Local: estádio Doutor Osvaldo Teixeira Duarte, o Canindé, em São Paulo (SP)
Data: 26 de maio de 2012 (sábado)
Horário: 18h30 (de Brasília)
Árbitro: Heber Roberto Lopes (Fifa-PR)
Assistentes: Luiz Santos Renesto (PR) e Pedro Christino (PR)
Cartões amarelos: (Vasco) - Allan, (Portuguesa) - Rodriguinho, Gustavo

GOL: Vasco – Alecsandro, aos 20 minutos do primeiro tempo.

PORTUGUESA: Gledson; Rogério, Renato e Gustavo; Luis Ricardo, Léo Silva (Vandinho), Boquita, Henrique (Michael) e Raí; Ananias e Ricardo Jesus (Rodriguinho)
Técnico: Geninho

VASCO: Fernando Prass; Fagner, Renato Silva, Rodolfo (Douglas) e Dieyson; Nilton, Fellipe Bastos (Leandro Chaparro), Allan e Diego Souza (Carlos Alberto); Eder Luis e Alecsandro
Técnico: Cristóvão Borges



veja também