MENU

Ponte Preta goleia Coritiba

Roger brilha, e comanda goleada da Ponte pra cima do Guarani

Atualizado: Domingo, 15 Julho de 2012 as 6:21

Em uma atuação de gala, Roger voltou em grande estilo e comprovou, com gols, sua importância para a Ponte Preta. Após cumprir suspensão na vitória por 1 a 0 sobre o Palmeiras, o camisa 9 marcou três vezes e liderou a Macaca na goleada em cima do Coritiba por 4 a 1, na noite deste sábado, no Estádio Moisés Lucarelli, em Campinas, pela nona rodada do Brasileirão. Os gols deixam o atacante na liderança da artilharia da Série A. Agora com seis, deixou para trás Alecsandro, do Vasco, e Araújo, do Náutico, que dividiam o posto, com cinco. Ricardinho marcou o outro da Macaca. Pereira descontou para os visitantes.


- Estou vivendo um momento especial. Já tinha feito dois gols por diversas vezes, mas nunca três. É a primeira vez. Estou muito feliz - comemorou Roger.


O resultado, conquistado diante 2.857 pagantes (para uma renda de R$ 27.940,00), embala a Ponte, com dois triunfos seguidos, e aumenta a ressaca do Coritiba. Vice da Copa do Brasil na última quarta-feira, o Coxa sofreu a terceira derrota seguida no Brasileirão e entrou na zona de rebaixamento. Com sete pontos, caiu para a 17ª colocação. O meia Rafinha deixou o campo envergonhado.
- Foi ridículo o que o time apresentou aqui. Falhas individuais, que cabe ao professor ver e analisar. Não será eu que vou falar nome de alguém, isso é um trabalho para o treinador mostrar para a gente. Hoje (sábado) foi feio, difícil falar em uma derrota como essa.


Em situação bem mais confortável, a Macaca cumpriu a meta de fazer 100% nas duas partidas seguidas como mandante. Chegando aos 15 pontos, ganhou três posições e subiu para a sétima colocação, na cola do G-4. Na quarta-feira, volta a testar a boa fase, contra o Náutico, nos Aflitos, a partir de 20h30m (de Brasília). Na quinta, o Coritiba recebe o Palmeiras, na reedição da final da Copa do Brasil.

Primeiro tempo cheio de alternativas termina empatado
O primeiro tempo foi emocionante do início ao fim. Começou e terminou com uma bola na trave da Ponte Preta, refletindo o domínio alvinegro, principalmente no início. Mas o Coxa buscou a igualdade na base da eficiência. Enquanto a Macaca martelou o tempo todo até abrir o placar, com Roger, o Coritiba soube aproveitar uma das únicas chances que criou, marcando com Pereira.
O cartão de visitas da Ponte saiu logo aos 30 segundos. Depois de iniciar a jogada pela esquerda e tocar para João Paulo, Roger correu para a área e pegou a sobra do cruzamento. De primeira, bateu com consciência e já saía para comemorar quando viu a bola tocar na trave e ficar com o Vanderlei. A oportunidade desperdiçada não abalou a Macaca.
A blitz continuou com Ferron, de cabeça. O Coxa não conseguia fugir da forte marcação da Macaca. A consequência era um jogo de ataque contra defesa.
Mas os paranaenses equilibraram as ações e, aos 20 minutos, chegaram pela primeira vez com perigo. Após bate e rebate, Everton Costa pegou de primeira e mandou por cima. No lance seguinte, o atacante atuou de garçom e deixou Roberto na cara do gol. O companheiro soltou a bomba, mas o xará goleiro da Ponte espalmou. O Coxa até chegou a marcar, com Everton Costa pegando rebote de uma cabeçada de Pereira, mas a arbitragem assinalou impedimento.


Apesar das oportunidades do Coxa, a Macaca seguia melhor. Roger e André Luis trocavam bons passes no ataque. O camisa 9 voltou a ameaçar Vanderlei em uma finalização colocada, da ponta esquerda. O goleiro do Coritiba precisou se esticar todo para evitar o gol.
Aos 35 minutos, porém, não teve jeito. De tanto insistir, Roger deixou sua marca. Em jogada individual, recebeu na ponta esquerda, chegou a sofrer falta de Pereira, mas se levantou, arrumou o corpo e colocou com categoria no canto direito baixo de Vanderlei.


Mas a vantagem alvinegra durou pouco. Mais precisamente quatro minutos. Em cobrança de escanteio, Roberto saiu mal, e Pereira, que subiu muito, cabeceou para o fundo das redes, deixando tudo igual. Também de bola parada, o Coxa quase virou. Em cobrança de falta, Ayrton obrigou Roberto a fazer linda defesa. A Ponte não deixou por menos e, com Nikão, carimbou o travessão de Vanderlei ainda antes do intervalo.

Sob comando de Roger, Macaca define a vitória em sete minutos
Com exceção da entrada de Lincoln no lugar de Everton Ribeiro na volta do intervalo, o cenário do início do segundo tempo foi muito parecido com o do primeiro. Desta vez, porém, a Ponte não deu bobeira e tratou de liquidar a fatura em sete minutos.


Logo aos três, Ricardinho recolocou a Macaca na frente em uma pintura, nem tanto pela finalização, mas, sim, pela construção da jogada. O lance começou com um lançamento de Gerônimo do campo de defesa para Roger, que estava na ponta esquerda. O atacante ajeitou de cabeça para Ricardinho, que devolveu de peito. O passe achou Renê Júnior. O volante limpou o lance e colocou Ricardinho na cara do gol. O meia pegou de primeira e fez 2 a 1.


Se no primeiro tempo a Macaca levaria o empate quatro minutos depois de abrir o placar, na etapa final, no mesmo período de tempo um gol alvinegro deu mais tranquilidade. Sérgio Manoel errou na saída de bola, tropeçou e deixou de presente para Roger. Não teve perdão. O camisa 9 pontepretano mostrou frieza diante de Vanderlei e tocou na saída do goleiro para ampliar.
O jogo estava controlado pela Ponte, mas o Coxa, apesar de cansado pela final da Copa do Brasil, não desistia. Everton Costa tentou dar novo ânimo aos paranaenses, aos 13 minutos, quando ganhou de Tiago Alves, fintou Roberto, mas foi travado por Ferron na hora de diminuir o placar. A resposta da Ponte foi imediata e na mesma moeda. André Luis só não fez o seu após passe milimétrico de Renê Júnior porque Sérgio Manoel tirou quase em cima da linha.


Depois disso, a Ponte administrou a vantagem e parecia esperar o apito final para comemorar a segunda vitória consecutiva. Mas ainda deu tempo de Roger fechar com chave de ouro sua atuação de gala, já nos acréscimos. Em mais um passe errado da defesa do Coxa, ele driblou Emerson e bateu de esquerda, sem chances para Vanderlei: 4 a 1 para a Macaca. Festa completa no Majestoso.

veja também