MENU

Sem Paulista, Verdão sofre cobrança por Copa do Brasil: 'Obrigação'

Verdão sofre cobrança por Copa do Brasil: 'Obrigação'

Atualizado: Segunda-feira, 23 Abril de 2012 as 3:57

Não há mais Campeonato Paulista para o Palmeiras. Eliminado após a derrota por 3 a 2 para o Guarani, no último omingo, em Campinas, o time tem apenas dois dias para esquecer o que passou e pensar na disputa da Copa do Brasil, único torneio que resta neste primeiro semestre. O vice-presidente Roberto Frizzo já fez uma cobrança clara a elenco e comissão técnica.

– O Palmeiras entra para ser campeão em qualquer competição. Temos essa obrigação na Copa do Brasil. A cobrança sempre existe, mesmo se ganhássemos o Paulista. Já vi anos em que o Palmeiras ganhou o Paulista e ficaram só chamando de “Paulistinha”. Mas vamos trabalhar – afirmou Frizzo.

Antes mesmo de deixar o Brinco de Ouro da Princesa, o técnico Luiz Felipe Scolari já pensava em um modo de manter seu grupo focado e tranquilo. A tática de Felipão é resolver tudo na base da conversa. Em campo, os erros são sistemáticos – principalmente na defesa. Mas com apenas dois dias de treinos até o jogo de ida das oitavas de final, contra o Paraná, quarta-feira, em Curitiba, o técnico reconheceu que será difícil corrigir com tanta rapidez os erros deste domingo.

– Vou fazer o que se faz normalmente quando se perde uma classificação. Conversamos com os atletas e trabalhamos a parte psicológica. Trabalha-se mais fora de campo do que dentro – explicou Felipão.

O técnico, porém, cobra consciência de seus jogadores. O semblante da derrota não poderá mais fazer parte dos jogadores na reapresentação do elenco, na tarde desta segunda-feira.

– Até o jogo ainda tem tempo. Não vou querer que nenhum jogador meu saia sorrindo depois de uma eliminação, aí ele tem de sair do Palmeiras. Mas amanhã já quero que estejam pensando na outra competição – avisou.

Há quase dois anos no comando do clube, Felipão ainda não conquistou títulos e vive um período de grande cobrança interna no Palmeiras. O presidente Arnaldo Tirone é seu defensor ferrenho, mas sofre pressão para trocar o comando do futebol.

veja também