MENU

Sport vence o Náutico por 2 a 1 no primeiro duelo da semifinal

Sport vence o Náutico no 'Clássico dos Clássicos'

Atualizado: Segunda-feira, 23 Abril de 2012 as 8:36

Não faltou emoção no 528º Clássico dos Clássicos. Náutico e Sport fizeram neste domingo, nos Aflitos, um jogo digno de semifinal entre os dois rivais. Apenas no primeiro tempo, a partida contabilizava dois gols, um para cada time, pênalti perdido pelo Rubro-Negro e diversas chances  de balançar as redes com os jogadores, para os dois lados. No fim, melhor para os visitantes que venceram por 2 a 1, com um pênalti a dez minutos do fim da partida. Os gols foram marcados por Marcelinho Paraíba (duas vezes pelo Sport) e Ronaldo Alves (Náutico).

Com a disposição das equipes, a partida foi marcada pela grande quantidade de cartões amarelos. No total, o juiz Ricardo Tavares distribuiu 13 cartões (sete para o Rubro-negro e seis para o Náutico) e expulsou Elicarlos, do Timbu.

Agora, os rubro-negros estão em boa vantagem para chegar à final do Campeonato Pernambucano. O Leão só perde a vaga se for derrotado por uma diferença de dois ou mais gols na Ilha do Retiro, no próximo domingo, às 16h.

O vencedor terá o direito de disputar a decisão do estadual contra Salgueiro ou Santa Cruz, que disputam a outra vaga. As equipes apenas irão treinar no meio da semana, uma vez que foram eliminadas da Copa do Brasil.

Dois gols e pênalti perdido

De técnico novo (Alexandre Gallo) e jogando diante de sua torcida, o Náutico começou com ímpeto e buscou o ataque nos primeiros minutos com Siloé. Com menos de um minuto, o atacante do Timbu caiu na área do Sport e pediu pênalti. Como resultado da postura ofensiva, os donos da casa conseguiram que um dos principais jogadores do Leão, Marcelinho Paraíba, recebesse cartão amarelo por uma falta em cima de Derley.

O Náutico seguiu pressionando, com Rodrigo Tiuí e Siloé fazendo uma de suas melhores partidas no Pernambucano. Aos sete, Tiuí quase abriu o placar para o Náutico, mas a bola passou perto do ângulo do goleiro Magrão. Aos 13, foi a vez do lateral Jefferson assustar o camisa 1 do Sport.

O Leão assustou aos 22, quando Gideão operou um milagre e conseguiu impedir que Jael marcasse o gol. Mas um minuto depois, no entanto, o camisa 1 do Timbu não foi eficaz para parar o chute de Marcelinho Paraíba. O meia-atacante abriu o placar e fez seu 14º gol no estadual.

Apesar de estar atrás no placar, o Náutico não desanimou e continuou em cima do Sport. A recompensa veio aos 31, quando o zagueiro Ronaldo Alves subiu mais que os defensores do Leão, após uma cobrança de falta, e mandou a bola para as redes. Logo após a saída de bola, César Marques, que havia entrado no lugar Marlon, cometeu pênalti. Era a chance para o Sport voltar a ficar na frente, mas Marcelinho Paraíba parou nas mãos de Gideão. Aos 46, em cobrança de falta, Souza mandou a bola na trave do goleiro Magrão.

Expulsão, pênalti e novo gol do Sport

No segundo tempo, o Sport resolveu jogar com o regulamento debaixo do braço - o Rubro-Negro joga por dois resultados iguais, ou seja, já tinha a vantagem do empate em casa. Assim, Mazola Júnior apostou em uma mudança de esquema tático. O treinador resolveu tirar o atacante Jheimy e reforçar o meio-campo com Rivaldo. O Náutico voltou com a mesma equipe da etapa inicial e disposto a ampliar o placar nos minutos iniciais. Aos cinco, Rodrigo Tiuí já chegava com perigo à meta de Magrão.

Aos oito, no entanto, a vida do Náutico ficou mais difícil com a expulsão do meia Elicarlos. Na prática, porém, a equipe alvirrubra não se deixou abater e chegou até mesmo a ser melhor que o time do Sport em alguns momentos. Aos 18, o Timbu só não abriu o placar com Souza graças a uma bela defesa do goleiro Magrão.

Aos 21, o Náutico chegou com perigo mais uma vez. Léo Santos cruzou na área do Sport, César Marques dominou com cuidado e chutou no canto esquerdo de Magrão. A bola passou rente à trave. O troco do Leão veio aos 27, com Marquinhos Paraná. Os rubro-negros não marcaram graças a Gideão.

Os 15 minutos finais foram jogados pelas duas equipes na base do coração, sem que nem mesmo o Sport "tirasse o pé" por conta do empate que lhe era favorável ou o Náutico passasse a se precaver por ter um jogador a menos. Aos 34, Jeferson cometeu pênalti e voltou a fazer o torcedor do Leão sorrir. Na segunda cobrança do dia, Marcelinho Paraíba não perdoou e fez 2 a 1 para os visitantes, placar final do jogo.

veja também