Fernando Capez é eleito presidente da Assembleia Legislativa: “vamos atuar dando exemplos”

“Nesse esforço conjunto, estará o grande sucesso dessa transição do Estado e País que nós somos para o Estado e País que desejamos ser”, comenta Roberto de Lucena.

Fonte: GuiameAtualizado: segunda-feira, 16 de março de 2015 15:23
 Fernando Capez (PSDB-SP), eleito presidente da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa para os próximos 2 anos.
Fernando Capez (PSDB-SP), eleito presidente da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa para os próximos 2 anos.

 

Neste domingo (15), dia marcado pelas manifestações políticas em todo o País, os 94 deputados do Estado de São Paulo, eleitos na última eleição, deram início aos seus mandatos que se estendem até 15 de março de 2019. O deputado que recebeu o maior número de votos no ano passado, Fernando Capez (PSDB-SP), foi eleito presidente da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa para os próximos 2 anos, por 92 votos nominais. O deputado Carlos Gianazzi (PSOL), recebeu dois votos.

Em entrevista ao GUIAME, Capez ressaltou que seu desafio na presidência da Alesp será o de resgatar o seu protagonismo original. “Que ela seja um centro produtor de ideias, de projetos, de soluções, e não meramente um órgão que caminha a ‘reboque’ de outros poderes. Sendo assim, nós podemos auxiliar ainda mais um trabalho harmônico com o poder executivo e judiciário e atender com mais eficiência a sociedade.”

Enquanto a posse de mandatos acontecia, manifestações se organizavam a poucos quilômetros da Alesp. Capez diagnosticou que a crise é de confiança e credibilidade das instituições. “Quando a Assembleia começa a atuar dando exemplos a serem seguidos pela sociedade, ela está dando esperança à população. Portanto, independentemente de cor de camisa ou partido político, a Assembleia como poder legislativo tem que atuar de maneira séria, austera e eficiente.”

O secretário de Turismo do Estado de São Paulo Roberto de Lucena (PV-SP), prestigiou a posse dos deputados e ressaltou a importância destes parlamentares no cenário atual do País. “Hoje, o papel da Assembleia Legislativa, que é preponderante e constitucional, torna-se, em função do momento em que estamos vivendo no país, muito mais importante. Cada deputado que está assumindo seu mandato, assume para uma legislatura que acontece em um ambiente político e economicamente comprometido a nível nacional”, disse com exclusividade ao GUIAME.

Parceria entre os poderes

Sobre a relação entre poder legislativo, executivo e judiciário, Lucena acredita na eficácia de um trabalho conjunto. “É fundamental que o poder legislativo tenha no poder executivo esse grande parceiro – apesar da independência que um tem do outro –, no meio de uma crise como a que nós temos estabelecida no país.”

Lucena encara a nova formação da Assembleia como promissora. “Esse desenho da Assembleia Legislativa é um desenho muito interessante. Embora tenha havido uma renovação – e eu vejo nela um fator muito positivo –, temos as pilastras do parlamento paulista presentes aqui, reeleitas para mais um mandato. Com certeza a experiência daqueles que permaneceram, e a vontade daqueles que estão chegando formarão um bom conjunto.”

“O poder legislativo ao lado do executivo e judiciário, cumprindo seu papel constitucional, garantindo a governabilidade, lutando pelos ideais da República e pelas premissas que devem nortear uma nação que pretende ser uma mãe responsável e justa para seus filhos. Certamente, nesse esforço conjunto, estará o grande sucesso dessa transição do Estado e País que nós somos para o Estado e País que desejamos ser”, completa.

Experiência e vontade

Lucena explica que o eleitor paulista é conservador, e isso se reflete ao avaliar a formação da Alesp. “O desenho da Assembleia Legislativa é, de certa forma, conservador. Agora, o que eu considero fundamental, é que exista a renovação. Ela oxigena as relações, traz novas ideias, traz parlamentares que vem, tendo muito vivo, o debate com a sociedade.”

“Esses parlamentares que estão chegando encontram aqui parlamentares já experientes na casa, que tem à memória o trabalho dos processos não apenas legislativos, mas parlamentares. Esse conjunto resulta, nesse momento, uma bela combinação. Nós temos um parlamento paulista muito forte. E, com certeza, São Paulo tem aí o descanso de saber que tem um legislativo muito orgânico, forte e preparado para essa próxima legislatura”, finaliza.

 

 

Siga-nos

Mais do Guiame