MENU

Juiz que autorizou grampos contra Cachoeira é afastado de Vara Federal

Juiz que autorizou grampos contra Cachoeira é afastado de Vara Federal

Atualizado: Segunda-feira, 18 Junho de 2012 as 2:28

O juiz Paulo Augusto Moreira Lima, que deflagrou a Operação Monte Carlo e ordenou a prisão do contraventor Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, foi afastado da 11ª Vara Federal de Goiás.

Segundo informações da assessoria de imprensa do Tribunal Regional Federal da Primeira Região (TRF1), Moreira Lima foi transferido para a 12ª Vara Federal temporariamente. O motivo seria um remanejamento por conta das férias de alguns magistrados.

O afastamento do juiz ocorre em um momento delicado, pois as escutas da Operação Monte Carlo, autorizadas por ele, correm o risco de serem anuladas. Isso porque o desembargador Tourinho Neto do TRF1, que é relator no julgamento do habeas corpus movido pela defesa de Cachoeira, reconheceu como ilegais as interceptações telefônicas feitas pela Polícia Federal.

Segundo o parecer de Tourinho Neto, o delegado encarregado da investigação, Matheus Mella Rodrigues, cometeu um erro ao fundamentar o pedido de interceptações ao basear-se apenas em denúncias anônimas e uma notícia de jornal. De acordo com o desembargador, Moreira Lima autorizou os grampos sem a devida fundamentação. Caso a decisão de Tourinho Neto seja a mesma dos outros dois ministros, as provas decorrentes dos grampos serão consideradas nulas.

O desembargador Tourinho Neto foi o mesmo que decidiu, na última sexta-feira, liberar o contraventor da prisão. No entanto ele não deixou a penitenciária, porque uma juíza indeferiu pedido da defesa do bicheiro referente à Operação Saint-Michel.

 

Leia também:  GUIAME

veja também