MENU

'A gente vive com medo', diz morador de condomínio invadido por milícia

'A gente vive com medo', diz morador de condomínio invadido por milícia

Atualizado: Quinta-feira, 26 Maio de 2011 as 3:49

Um morador em situação regular do condomínio Ferrara , em Campo Grande, na Zona Oeste do Rio, afirmou, durante a ação de despejo de invasores na manhã deste quinta-feira (26), que a população do local vive sob ameaça de milicianos. Ele não quis se identificar.

“A gente vive com medo. Eles (milicianos) vivem dizendo que vai ter mais invasão. A gente sabe que os que estão saindo estão planejando voltar”, disse ele.

O secretário municipal de Habitação, Jorge Bittar, confirmou a informação. “A secretaria tem recebido denúncias de grupos armados andando pelo condomínio”, contou.

Moradores com caminhão cheio para a mudança (Foto: Lilian Quaino)

  Ele esteve presente na ação de despejo nesta manhã e ouviu os protesto dos moradores. A desocupação dos imóveis do programa “Minha casa, minha vida” é fruto de uma ação de reintegração de posse a favor da prefeitura do Rio.

Equipes da prefeitura do Rio, com o apoio da Polícia Militar e Federal, iniciaram a ação às 10h desta quinta. A prefeitura disponibilizou seis caminhões para a mudança e os servidores ajudam as famílias a embalarem seus pertences para colocá-los nos caminhões.

Despejados receberão aluguel social

Morador usa carroça para fazer mudança (Foto: Jadson Marques/AE)

  Os invasores despejados no condomínio deverão ter como compensação a inclusão no cadastro do programa “Minha Casa Minha Vida”, com o aluguel social de R$ 400, ou a permanência em abrigos da prefeitura, segundo informou o secretário.

Apesar dos protestos, a operação segue sem maiores tumultos. Alguns moradores, como Rômulo Souza Lima, que confirmou não ter documentos de propriedade do imóvel, preferiram fazer suas próprias mudanças. Ele tem dois filhos e vai para casa da mãe perto do condomínio. Rômulo negou a ação de milicianos na região.

"Aqui não tem nada de milícia não. A gente vaio para cá para fugir de alguel. É claro que a gente sempre tentou pagar. Agora vou pensar no que vou fazer”, disse ele.

Assessores da secretaria dizem que a operação prossegue até quando for preciso, para a retirada dos 143 invasores. As famílias invasoras foram notificadas na quarta-feira (25) e tinham prazo de 24 horas para sair dos apartamentos do condomínio.          

veja também