MENU

Aborto mal sucedido teria causado morte de jovem em MS, diz polícia

Aborto mal sucedido teria causado morte de jovem em MS, diz polícia

Atualizado: Terça-feira, 21 Junho de 2011 as 3:40

Delegado, peritos e médico legista participaram de

coletiva de imprensa nesta terça-feira (Foto: G1/MS)

  O delegado Fabiano Nagata informou na manhã desta terça-feira (21), em Campo Grande, que laudos periciais aliado às investigações indicaram que a morte de Marielly Barbosa Rodrigues tenha sido causada por um aborto mal sucedido. A jovem, que tem 20 anos, ficou desaparecida por 21 dias e foi encontrada morta em um canavial em Sidrolândia, distante 70 quilômetros da capital.

Nagata é titular da Delegacia de Homicídios (DEH), onde está sendo investigado o caso de Marielly. Segundo informações dos peritos, não foram detectados fraturas no corpo e nem marcas de tiros, o que indicaria que não houve violência contra a jovem.

O médico legista Ronaldo Rosa, responsável pela análise do corpo, lembrou que o exame de sangue comprovando a gravidez de Marielly foi entregue à polícia pela família. No entanto o exame radiológico feito no cadáver indicou a inexistência do feto.“Isso significa que ou a gravidez era recente, ou o feto não estava mais no corpo da vítima”, explica o legista.

Marielly desapareceu no dia 21 de maio

(Foto: Fernando da Mata/G1 MS)

  Ainda segundo o médico, o exame entregue pela família foi feito no dia 28 de fevereiro; Marielly já estaria grávida há pelo menos três meses.

Outro fator destacado pelo médico foi a condição do cadáver. “O corpo estava em estado de mumificação, o que não é comum. Isso indica que a morte tenha sido causada por uma hemorragia aguda, o que justifica que o cadáver tenha ficado neste estado por conta da perda de líquidos”, explica o médico.

O perito criminal Fabiano Delfino Moreira afirmou que os laudos constataram ainda que a o corpo estava no local há pelo menos 15 dias, mas que Marielly não morreu no local. Segundo ele, as evidências indicam o crime de “ocultação de cadáver”, já que o corpo foi aparentemente escondido no canavial.

“A posição em que o corpo foi encontrado indica que ela foi colocada e não apenas jogada no canavial. Os braços estavam próximos ao corpo, as pernas esticadas como se alguém tivesse acomodado o corpo da vítima”, explicou o perito.          

veja também