MENU

Ação contra fraude de serviço de saúde tem detidos no Norte do Paraná

Ação contra fraude de serviço de saúde tem detidos no Norte do Paraná

Atualizado: Terça-feira, 10 Maio de 2011 as 11:36

Uma operação a pedido do Ministério Público, realizada pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) e a Polícia Federal, prendeu na manhã desta terça-feira (10), 15 pessoas suspeitas de cometer crimes de desvio de dinheiro público e corrupção de agentes públicos na área de saúde de Londrina, na região Norte do Paraná, através de duas Oscips (Organização da Sociedade Civil de Interesse Público). A operação começou por volta das 5h da manhã e cerca de 30 mandados de prisão devem ser cumpridos. As investigações da suposta fraude começaram há mais de quatro meses.

O procurador jurídico do município e dois presidentes das Oscips envolvidas, que prestam serviços para o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), Sistema de Internação Domiciliar (Sid), Policlínica e Programa Saúde da Família, foram presos sob suspeita de envolvimento de desvio de dinheiro público dos contratos de R$ 13 milhões que a Prefeitura de Londrina mantinha com as instituições para terceirização dos serviços. Em entrevista ao G1 , o coordenador estadual do Gaeco, Leonir Batisti, disse que foi confirmado a “solicitação de propina de parte do procurador”.

Outros dois representantes do Conselho de Saúde do município também estão entre os presos na operação.

O prefeito de Londrina, Homero Barbosa Neto (PDT), informou que a Prefeitura já vinha investigando denúncias de irregularidades relacionadas aos contratos, mas que foi surpreendido com a prisão do procurador que "está automaticamente exonerado".

A prefeitura vai decidir como manter o atendimento a população.        

veja também