MENU

Ação de preservação concilia conservação da Mata Atlântica com melhoria na qualidade da água no Rio

Ação de preservação concilia conservação da Mata Atlântica com melhoria na qualidade da água no Rio

Atualizado: Segunda-feira, 20 Setembro de 2010 as 2:55

A Companhia Estadual de Águas e Esgotos (Cedae) organiza amanhã (21), Dia da Árvore, o plantio de 50 mil mudas de árvores típicas da Mata Atlântica, às margens do Rio Macacu, no município de Cachoeiras de Macacu, região metropolitana do Rio. A ideia, segundo o presidente da Cedae, Wagner Victer, é “chamar a atenção da opinião pública e de outras empresas para o Dia C - Carbono Zero - Rio 2016 e estimular projetos semelhantes”. Ele afirma que, além de ser uma forma de cumprir os compromissos do estado junto ao Comitê Olímpico Internacional (COI) para as Olimpíadas do Rio em 2016, o projeto dá início a uma meta da companhia de plantar 3 milhões de mudas até 2012.

O ambientalista Sérgio Ricardo, que acompanha o Programa de Despoluição da Baía de Guanabara desde 1994, ano em que o projeto foi criado, afirmou que o Rio Macacu é um dos poucos, entre os 72 rios que despejam água na Baía de Guanabara, que pode ser considerado limpo. Ele destacou também que “a recomposição da mata ciliar é fundamental para se recuperar a produção de água no Rio de Janeiro”.

“Nós temos vários fatores que impactam a Mata Atlântica, como por exemplo, as queimadas, a soltura de balão, a criação de gado, que muitas vezes é feita no entorno das unidades de conservação sem critério nenhum. No caso das áreas urbanas, o crescimento urbano desordenado precisa de ações de planejamento, de controle ambiental e de fiscalização”, avalia.

O ambientalista avaliou como importante a iniciativa da Cedae que contará com a participação dos funcionários da empresa e de presos do regime semiaberto. Ele lembra que a recomposição do ecossistema da Mata Atlântica é uma causa urgente, já que foi o mais desmatado do país, resultando na preservação de apenas 7% da mata original em todo o Brasil.

De acordo com a Cedae, o Rio Macacu é o que despeja o maior volume de água na Baía de Guanabara. A região onde ocorrerá o plantio tem forte influência sobre a água utilizada na Estação de Tratamento de Laranjal, que abastece os municípios de Niterói, São Gonçalo e Itaboraí, região de influência do futuro Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj).

A Cedae quer registrar o êxito no livro mundial de recordes, Guinness World Records , como empresa que mais plantou árvores em um só dia às margens de um rio.

veja também