MENU

Acusação de Serra sobre suposto dossiê é "desespero", diz presidente nacional do PT

Acusação de Serra sobre suposto dossiê é "desespero", diz presidente nacional do PT

Atualizado: Quarta-feira, 2 Junho de 2010 as 3:21

O presidente do PT, José Eduardo Dutra, reagiu com ironia às declarações do pré-candidato do PSDB à Presidência da República, José Serra, sobre um suposto dossiê que estaria sendo produzido contra ele por um grupo da campanha da adversária Dilma Rousseff, segundo denúncia da revista Veja. Segundo a publicação, porém, a própria petista deu ordens para suspender a produção contra o tucano.

- O Serra infelizmente está indo pelo mesmo caminho do presidente do partido dele [Sérgio Guerra]. O nome disso só pode ser desespero.

Dutra, que está em Goiânia, referiu-se às últimas pesquisas de intenção de voto que mostram o aumento da preferência pela petista. Ele acompanha Dilma, que cumpre compromissos de pré-campanha.

Hoje, em São Paulo, Serra atribuiu a existência de suposto dossiê à presidenciável petista, lembrando inclusive de dossiês que surgiram em eleições anteriores. O tucano, porém, não poupou a adversária e a responsabilizou pelas novas suspeitas. Segundo ele, dirigentes petistas fizeram o mesmo em eleições passadas.

- A principal responsabilidade por esse novo dossiê é da candidata Dilma Rousseff, não tenho dúvida. Assim como o principal responsável pelo dossiê dos ''aloprados'' [em 2006] foi o Mercadante [Aloizio Mercadante, então candidato ao governo paulista]  e o principal pelo dossiê de 2002 foi o [Ricardo] Berzoini. O PT tem uma tradição.

Serra falou à imprensa após acompanhar o Impostômetro -  painel eletrônico que registra o valor dos tributos pagos no país, instalado em São Paulo - alcançar a marca de R$ 500 bilhões.

Também subindo o tom, o presidente do PSDB, Sérgio Guerra, cobrou explicações de Dilma. Quer saber ''por que [ela] montou uma equipe de espiões e arapongas para fabricar dossiês contra adversários''.

Guerra afirmou que ''a candidata Dilma já tem no curto currículo dela o dossiê contra dona Ruth Cardoso, que até hoje não foi explicado'', lembrando que, quando este episódio veio a público, Dilma era ministra da Casa Civil. O tucanato diz que não basta dizer que a estrutura de espionagem foi desmontada e que o coordenador da campanha petista, Fernando Pimentel, não tem nada com isso.

Procurada pela reportagem, a assessoria da campanha de Dilma não quis comentar as declarações de Guerra.

veja também