MENU

Adolescente ferida em parque recebe alta no Rio, diz Secretaria

Adolescente ferida em parque recebe alta no Rio, diz Secretaria

Atualizado: Sexta-feira, 19 Agosto de 2011 as 10:58

Depois de ficar mais de uma semana internada, a jovem Francine Januário Santana , de 20 anos, teve alta nesta quinta-feira (18). Ela estava no Hospital Miguel Couto, no Leblon, Zona Sul do Rio, e é uma das vítimas do acidente no parque de diversões em Vargem Grande, na Zona Oeste, que deixou dois mortos e outros sete feridos. As informações são da Secretaria municipal de Saúde.

Já Daiane Mesquista, de 17 anos, continua internada no CTI da unidade em estado grave, sem  previsão de alta, segundo a Secretaria municipal de Saúde.

Dois mortos

O acidente ocorreu durante uma festa agostina - uma celebração de São João no mês de agosto, na madrugada de domingo (14). De acordo com a polícia, por volta das 3h, um carrinho do brinquedo chamado "tufão" se soltou e caiu do alto, atingindo várias pessoas que estavam numa fila. Alessandra da Silva Aguilar, de 17 anos, ainda segundo os agentes, morreu no local. Já o Vítor Alcântara de Oliveira, de 16 anos, morreu na terça-feira (16), após dois dias internado em estado grave.

Os indiciados

A delegada Adriana Belém, da 42ª DP (Recreio), indiciou os donos do parque por homicídio doloso , quando há a intenção de matar. Já o engenheiro que deu a autorização para o parque funcionar e disse que não andaria nos brinquedos nem permitiria que seus parentes andassem foi indiciado por falsidade ideológica.

"Ele deu declarações em documento público que não corresponde à verdade. O parque não tem condições de funcionar", explicou Adriana, informando que se condenado na Justiça, o engenheiro pode cumprir pena de 1 a 5 anos de detenção. Além deles, três organizadores da festa realizada no parque e os presidentes das associações de moradores de Vargem Grande e de blocos carnavalescos também foram indiciados por falsidade ideológica.

“Eles (os organizadores da festa) pediram um alvará para uma festa agostina, não falaram em nenhum momento que seria em um parque de diversões, então, eles induziram os órgãos ao erro. Na leitura dessa petição, diz apenas que se trata de um evento de origem beneficente, eles omitiram a existência do parque, por isso foram indiciados”, disse a delegada.

A delegada explicou, ainda, que os presidentes das associações de moradores e de blocos carnavalescos foram indiciados porque eles também omitiram a informação sobre o parque de diversões. Segundo Adriana Belém, os organizadores entraram em contato com as associações para pedir as autorizações para a realização da festa.          

veja também