MENU

Adolescente primo do goleiro Bruno ameaça cometer suicídio, diz tio do jovem

Adolescente primo do goleiro Bruno ameaça cometer suicídio, diz tio do jovem

Atualizado: Segunda-feira, 12 Julho de 2010 as 11:45

O tio do adolescente de 17 anos que confessou envolvimento no desaparecimento de Eliza Samudio, 25, ex-amante do goleiro Bruno Fernandes, suspenso do Flamengo, afirmou que o sobrinho pode cometer suicídio por se sentir abandonado após denunciar o caso. Segundo o motorista de ônibus, o garoto não recebeu nenhuma visita desde que foi apreendido no Instituto Padre Severino, na Ilha do Governador, zona norte do Rio.

"Ele me disse: 'tio não me deixe, se o senhor me deixar eu vou me matar'. Estou preocupado. Não me disseram se ele está recebendo tratamento psicológico", afirmou à Folha o tio do adolescente. A afirmação foi feira antes de o jovem ter sido encaminhado para o Instituto Padre Severino.

O motorista de ônibus também destacou que não consegue visitar o sobrinho na instituição para menores infratores. Ele afirmou que vai solicitar amanhã (13) uma visita ao Juizado da Infância e Juventude.

"Não sai da minha cabeça aquela cena da semana passada, quando nós chegamos em frente à casa que aconteceu o homicídio e ele começou a ter uma crise gritando 'eu vou me matar, eu vou me matar'. Preciso ficar ao lado dele", disse o tio. Na sexta-feira, policiais da Delegacia de Homicídios do Rio encaminharam o tio do adolescente ao programa de proteção. Ele disse que passou a ser ameaçado após denunciar que seu sobrinho, que é primo de Bruno, viu Eliza sendo morta.

Transferência suspensa

O juiz da Vara da Infância e Juventude do Rio de Janeiro, Marcius Ferreira, informou que não pretende autorizar a transferência para Minas Gerais do adolescente. Segundo o juiz, o jovem vai continuar internado no Instituto Padre Severino. "Caso seja necessário, os policiais de Minas Gerais podem vir ao Rio ouvir novamente o menor", disse o juiz. Em seu primeiro depoimento, o adolescente ficou por mais de sete horas contando detalhes sobre o assassinato de Eliza.

O juiz Marcius Ferreira alegou, que segundo o Estatuto da Criança e do Adolescente, o menor deve ficar próximo dos pais portanto, no Rio de Janeiro, onde moram seus responsáveis. Até o início da noite de sexta-feira (9), a Justiça do Rio não recebeu um pedido oficial solicitando a viagem do menor.

veja também