MENU

Adolescentes são presos por praticarem sequestros-relâmpago

Adolescentes são presos por praticarem sequestros-relâmpago

Atualizado: Quarta-feira, 5 Maio de 2010 as 9

Uma jovem de 21 anos (identidade preservada) viveu momentos de tensão e medo sob a mira de um revólver durante um sequestro-relâmpago praticado por dois adolescentes, de 15 e 16 anos. A dupla foi apreendida, no começo da tarde de ontem por policiais militares do Ronda do Quarteirão, no bairro Cidade dos Funcionários, após intensa perseguição policial.

Os dois estavam dentro do veículo juntamente com a vítima, que havia sido raptada pela dupla momentos antes, no mesmo bairro. Ela foi obrigada a dirigir por vários quarteirões, sob a mira de um revólver calibre 32 sem nenhuma munição.

Perseguição

De acordo com a Polícia, a jovem seguia para o trabalho em seu veículo, nas proximidades do Lago Jacarey, quando foi abordada pelos adolescentes e obrigada a parar o automóvel. Um deles sentou ao lado da vítima e, o comparsa, armado com um revólver calibre 32, sem munição, foi para o banco traseiro. A jovem foi forçada a dirigir sob ameaças dos assaltantes.

Conforme as informações repassadas pela Polícia à Reportagem, uma testemunha presenciou o momento em que os assaltantes atacaram a garota e ligou para a Ciops. Rapidamente várias patrulhas do Ronda do Quarteirão da área e do Policiamento Ostensivo Geral (POG) obtiveram informações sobre as características do veículo e passaram a tentar localizá-lo, nas imediações do local onde a jovem havia sido arrebatada.

Muito nervosa, e sem saber que a arma usada pelos assaltantes estavam sem balas, a jovem continuou guiando pelas ruas do bairro Cidade dos Funcionários, mas pedindo a todo instante que a dupla não a matasse.

Quando os adolescentes perceberam a presença da Polícia, ordenaram que a vítima dirigisse mais rapidamente. Desesperada, a jovem perdeu o controle do veículo e subiu uma calçada na Avenida Oliveira Paiva, nas proximidades do cruzamento com a Avenida Washington Soares, o que fez com que um dos pneus do veículo furasse. Nesse momento, os adolescentes foram cercados e apreendidos pelos PMs da patrulha RD-1085, do Parque Manibura.

De lá, a dupla foi conduzida para o 13º DP (Cidade dos Funcionários). Contudo, na delegacia, os PMs confirmaram que os dois eram menores de idade. Eles foram, então, levados para a Delegacia da Criança e do Adolescente (DCA), onde o delegado plantonista lavrou um auto de apreensão em flagrante pelo roubo com restrição de liberdade da vítima, popularmente conhecido como sequestro-relâmpago.

Os adolescentes foram ouvidos pelo delegado e levados para realização de exame de corpo de delito na Coordenadoria de Medicina Legal (CML). No fim da tarde, acabaram recolhidos na Unidade de Recepção Luiz Barros de Montenegro, que funciona ao lado da DCA.

Os dois garotos infratores permanecerão por um prazo de até 24 horas recolhidos na Unidade, até serem ouvidos em audiência pelo representante do Ministério Público, e em seguida, pelo juiz da Vara da Infância e Juventude de Fortaleza. No ano passado, 544 armas de fogo foram apreendidas em diversas ocorrências em que os adolescentes estavam na linha de frente. Conforme os números da DCA, uma média de duas armas são apreendidas por dia com menores.

Mulher

Uma mulher foi presa por inspetores da Denarc, em Messejana. Com a acusada, Maria Cristiana de Sousa, 34, foi apreendido um quilo de crack. A Polícia descobriu que ele atuava a mando do marido traficante.

Estatuto

Infratores são autuados em flagrante e internados

O envolvimento de adolescentes com o crime tem deixado um rastro de sangue nas ruas de Fortaleza e sua Região Metropolitana. Somente este ano, já são mais de 70 jovens assassinados. No fim de semana passado, dois garotos, com idades entre 16 e 17 anos, perderam a vida de forma trágica, sendo mortos, a tiro, por ordem do tráfico.

Os garotos também se envolvem em outros delitos, como assaltos à mão armada, pequenos furtos, tráfico de armas e nos sequestros-relâmpagos, como aconteceu na tarde de ontem no Lago Jacarey.

Delitos

Na Delegacia da Criança e do Adolescente (DCA), órgão responsável pela apuração dos crimes atribuídos a menores de idade, as cenas se repetem todos os dias. Viaturas da Polícia Militar chegam ali conduzindo adolescentes envolvidos em atos infracionais, sendo mais comuns os casos de assalto, porte ilegal de arma e furtos.

Após a lavratura do flagrante, os menores são recolhidos a um Centro de Triagem e, nas horas seguintes, apresentados ao Ministério Público e ao juiz. De lá, saem para um centro de internamento, onde vão cumprir as medidas socioeducativas, equivalentes a uma pena, em se tratando de delitos graves. Em outras situações, quando os crimes são considerados de menor potencial ofensivo, os adolescentes são entregues aos pais ou responsáveis.

Por Emerson Rodrigues

veja também