MENU

Advogado de ex-namorado de Mércia vai entrar com habeas corpus no TJ

Advogado de ex-namorado de Mércia vai entrar com habeas corpus no TJ

Atualizado: Terça-feira, 13 Julho de 2010 as 9:34

A defesa de Mizael Bispo de Souza, principal suspeito de matar Mércia Nakashima, vai entrar com um habeas corpus no Tribunal de Justiça de São Paulo pedindo a nulidade do decreto de prisão contra o advogado e policial militar aposentado. De acordo com o defensor do ex-namorado da vítima, Samir Haddad Júnior, a alegação para solicitar a revogação da decisão judicial será a de que o juízo de Guarulhos, na Grande São Paulo, que decretou a prisão, não tem competência para isso. O recurso deverá ser impetrado nesta terça-feira (13).

“Quem deve julgar o caso é o juízo em Nazaré Paulista [no interior do Estado], onde, aparentemente, Mércia foi morta, e não a Justiça em Guarulhos, onde ela desapareceu”, afirma Haddad Júnior. “Pretendo entrar com o HC [habeas corpus] nesta terça.”

Ainda nesta terça, a polícia deve colocar frente a frente o vigia Evandro Bezerra Silva, preso suspeito de envolvimento no crime, e um homem que já foi ouvido pela polícia e era conhecido dele.

A prisão de Mizael foi decretada no sábado (10) pelo juiz plantonista de Guarulhos Davi de Castro Pereira Rio. Desde então, o suspeito está foragido da Justiça e é procurado pela Polícia Civil, que diz que irá indiciá-lo até quarta. O que motivou a decretação da prisão foi o depoimento do vigia Evandro Bezerra Silva, que declarou para a Polícia Civil que foi o ex-namorado de Mércia que a matou. O crime foi cometido em 23 de maio numa represa em Nazaré. Mizael diz ser inocente. Ainda segundo o segurança, ele ajudou Mizael na fuga, ao buscá-lo na represa. Apesar disso, Evandro foi indiciado pelo homicídio. O mesmo deve ocorrer com o ex.

Haddad Júnior afirmou que, caso o habeas corpus seja negado para Mizael, ele vai aguardar a volta do juiz titular do caso Mércia, Leandro Jorge Bittencourt Cano, para tentar entrar com um recurso. “Vou esperar o juiz Leandro voltar das suas férias para tentar recorrer diretamente com ele sobre o decreto da prisão de Mizael”, afirma o defensor.

Indagado se tem mantido contato com seu cliente, Haddad Júnior diz que a última vez que falou com Mizael foi no sábado, quando ele decidiu não se entregar à polícia.

“Vou lutar para que os recursos sejam favoráveis ao Mizael. Quando esgotarem os recursos, ele tem duas opções: se apresentar ou viver como foragido”, diz o advogado do suspeito. “Se o Mizael dizer que não quer se entregar, o que eu posso fazer?”

Crime

O corpo de Mércia só foi localizado em 11 de junho, graças a uma denúncia feita por um pescador, que afirmou à polícia ter visto o carro da vítima afundar na represa 19 dias antes. O veículo foi achado submerso no dia 10 de junho.

Segundo a testemunha, um homem não identificado havia deixado o veículo e fugiu. Depois, gritos de mulher foram ouvidos enquanto o carro afundava na represa.

De acordo com a perícia, Mércia foi agredida e baleada, desmaiou e morreu afogada. O laudo do Instituto Médico Legal (IML) com a causa da morte deve ser divulgado nesta semana, assim como o resultado dos exames feitos pelo Instituto de Criminalística (IC) a respeito do que foi encontrado no carro da advogada.

veja também