MENU

Advogado diz que segurança agrediu rapaz em legítima defesa em MS

Advogado diz que segurança agrediu rapaz em legítima defesa em MS

Atualizado: Terça-feira, 24 Maio de 2011 as 3:53

Advogado de defesa das Lojas Americanas em Campo Grande (Foto: Tatiane Queiroz, Do G1 MS)

  A defesa da filial da Loja Americanas, em Campo Grande, se pronunciou na manhã desta terça-feira (24) sobre o caso de agressão ocorrido em uma das unidades, no dia 23 de abril, contra o Márcio Antônio de Souza, de 34 anos. A defesa alega que o segurança que agrediu Márcio trabalha para uma empresa terceirizada e abordou o rapaz porque ele estaria tentando roubar ovos de Páscoa da loja.

O pronunciamento foi feito pelo advogado Silzomar Mendonça, em audiência pública promovida pela Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Vereadores de Campo Grande. De acordo com o advogado, o segurança agiu em legítima defesa. Ele teria abordado Márcio e pedido para que ele se dirigisse para uma sala para dar esclarecimentos sobre o ovo de chocolate que estava portando. Ainda segundo a defesa, o rapaz teria empurrado o segurança por duas vezes e depois de entrar na sala teria agredido o segurança, que tentou se defender revidando as agressões.

A versão da vítima é diferente. De acordo com relatos de Márcio, ele teria entrado na loja Americanas com dois ovos de chocolate dentro de um capacete que estava segurando em uma das mãos. Ele afirma que os ovos teriam sido comprados dias antes, em outro estabelecimento.

A vítima conta ainda que passou dentro do estabelecimento apenas para cortar caminho, já que a loja possui uma entrada localizada na rua Dom Aquino e a outra na rua Marechal Cândido Mariano Rondon, região central da cidade. Depois de atravessar a loja ele encontrou sua filha, de 11 anos, e lhe entregou um dos ovos. Quando estava retornando, pelo mesmo caminho, ele teria sido abordado por um segurança que o levou para uma sala onde foi violentamente agredido.

Márcio Antônio, vítima de agressão em loja de Campo Grande (Foto: Tatiane Queiroz, Do G1 MS)

  Márcio teve graves lesões no rosto e uma fratura no nariz. Ele informou ao G1 que está afastado do trabalho por conta de sua recuperação.

Investigações

De acordo com a delegada que investiga o caso, Daniella Kades, o inquérito foi aberto pela Polícia Civil no início de maio. O crime foi classificado como lesão corporal grave.

A delegada explica ainda que no dia do fato, a loja Americanas registrou um boletim de ocorrência por tentativa de furto, mas que não foi aberto inquérito por falta de “materialidade”.

“Até o momento, a loja não apresentou o ovo de páscoa para que pudesse ser feita coleta de impressão digital e comparação do código de barras que comprova que o ovo era realmente da loja”, explica a advogada.

A delegada informou ainda que está aguardando o resultado de laudos periciais com a análise das imagens do circuito interno de segurança do estabelecimento. São 30 dias até o resultado ficar pronto.

Ainda segundo a delegada, em novembro do ano passado outra unidade da Loja Americanas em Campo Grande também foi alvo de investigação da polícia também por agressão  de seguranças. O inquérito foi aberto porque dois rapazes deficientes mentais teriam sido levados para uma sala e agredidos por seguranças depois de tentarem furtar um DVD da prateleira.      

veja também