MENU

Advogado é suspeito de ser mandante de morte de prefeito em MT

Advogado é suspeito de ser mandante de morte de prefeito em MT

Atualizado: Quarta-feira, 10 Agosto de 2011 as 3:26

A Polícia Judiciária Civil de Mato Grosso procura por um advogado de 34 anos, suspeito de envolvimento no assassinato do prefeito de Novo Santo Antônio, a 1.063 km de Cuiabá, Valdemir Antônio da Silva, morto no dia 23 de julho.

O mandado de prisão temporária foi expedido pela Justiça em 6 de agosto e , conforme a polícia, ele é considerado foragido. Para o delegado Wilyney Santana Borges, que conduz o inquérito, os indícios mostram ligação entre o advogado e os executores. O advogado também já ocupou cargo na administração municipal, nos primeiros dois anos da gestão do prefeito morto.

Segundo Santana, o advogado conhecia um dos suspeitos que confessou a autoria do crime à polícia. "Há indícios de que o advogado seria o mandante ou um dos", anunciou o delegado. No decorrer das investigações, duas pessoas foram presas, sendo o primeiro no domingo (7), em Bom Jesus do Araguaia, a 983 km da capital.

Já o segundo suspeito foi preso na segunda-feira (8), na cidade de Nova Xavantina, a 651 quilômetros de Cuiabá. O envolvimento do advogado com eles fez a polícia suspeitar da relação e solicitar da Justiça a autorização para o mandado de prisão. "Temos evidências muito fortes", salientou o delegado, nesta quarta-feira (10), durante entrevista coletiva à imprensa Por outro lado, a Polícia Civil afirma ainda não ter esclarecida qual foi a real motivação do assassinato.

Outro fator que levou a polícia a pedir a prisão do advogado, de acordo com o delegado, está o fato de a dupla presa ter sido transportada, dias antes do crime, no próprio veículo do advogado, para uma fazenda. A propriedade está localizada próxima à uma área que pertence ao suspeito tido como foragido.

Além disso, a polícia afirma que um dia após o crime, o veículo do advogado foi visto na residência da tia de um dos suspeitos para buscar uma mochila deixada por um dos criminosos.

Antes de ser assassinado, o prefeito já vinha recebendo ameaças de morte. "O prefeito estava sim sendo ameaçado. Em uma delas, certa quantia teria sido oferecida a um mototaxista", comentou o delegado Wilyney Santana.

Antecendentes

A dupla presa pela Polícia Civil já possui antecedentes criminais por outras cidades do estado. Um dos suspeitos por receptação e tráfico de drogas. O outro tem passagens por furto e roubo. Ambos estão presos na cadeia de Nova Xavantina, a 651 km da capital.

Crime

O exame de necropsia realizado no corpo do prefeito Valdemar Antônio da Silva encontrou três projeteis de arma de fogo. Conforme o delegado, apesar de um deles ter confessado a autoria do crime, nega-se a confirmar quem seria o mandante. "Os dois executores estavam na região há pelo menos um mês e o crime já estava premeditado", pontuou o delegado.

Ainda conforme Wilyney Santana, o preso nega ter recebido pagamento pelo crime. Ele teria declarado que participou do assassinato a convite do comparsa, que alegou ter rixas com o prefeito. "Três dias antes de ser preso, ele [suspeito] já vinha comprando vários bens, apesar de estar desempregado", contou.

A Polícia Civil espera concluir nos próximos 30 dias o inquérito que trata do caso. Vinte e seis pessoas já foram ouvidas na delegacia.            

veja também