MENU

Aécio Neves diz que não vai se 'autoproclamar' líder da oposição

Aécio Neves diz que não vai se 'autoproclamar' líder da oposição

Atualizado: Sexta-feira, 5 Novembro de 2010 as 10:34

O senador eleito por Minas Gerais Aécio Neves (PSDB) falou, em entrevista nesta quinta-feira (4), que não vai se "autoproclamar" líder da oposição. "Eu não me autoproclamo líder de absolutamente nada, até porque ninguém é líder de si mesmo", afirmou em entrevista divulgada pela assessoria do próprio ex-governador.

Nesta quinta-feira (4), o governador reeleito do Ceará, Cid Gomes (PSB), defendeu que haja um pacto entre governo e oposição e disse que considera "razoável' a indicação de Aécio Neves (PSDB) para a presidência do Senado. Após a proposta de Gomes repercutir no encontro do partido nesta quinta-feira (4) em Brasília, outros governadores eleitos do PSB deixaram claro que esta não é a posição oficial do partido.

Neves também preferiu não antecipar se será ou não candidato à Presidência da República pelo PSBD nas eleições de 2014. O tucano deu as delcarações na Serra da Piedade, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, onde cumpriu um costume adotado por seu avô, Tancredo Neves. O ex-presidente ia à serra no início e no fim das campanhas eleitorais, ritual seguido pelo neto.

Aécio Neves disse que acha ainda cedo para falar sobre a próxima eleição presidencial. Para o senador, a oposição ao governo da presidente eleita Dilma está fortalecida, com 10 governadores de oposição. "Quanto à candidatura, não é hora de falar sobre isto. Nós estamos saindo de uma eleição, no caso de Minas extremamente vitoriosos, eu acho que os governadores de oposição, são pelo menos 10 governadores de oposição, que governam 52% da população, e mais de 50% do PIB nacional, terão um papel extremamente importante nas discussões que virão pela frente", afirmou o senador.

Perguntado se se ressentia do fato de José Serra não o ter citado nominalmente no agradecimento que encerrou a campanha do tucano e reconheceu a vitória de Dilma, Aécio Neves respondeu que não se importou. "Eu acho que nós devemos fazer política sempre com grandeza", afirmou.

veja também