MENU

Aeronáutica inicia remoção de helicóptero de Marrone

Aeronáutica inicia remoção de helicóptero de Marrone

Atualizado: Terça-feira, 3 Maio de 2011 as 3:17

Luciana Bonadio Do G1 SP, em São José do Rio Preto

imprimir O tenente coronel Ricardo Beltran Crespo, chefe do Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes (Seripa IV), da Aeronáutica, afirmou na tarde desta terça-feira (3) que iniciou a remoção do helicóptero do cantor sertanejo Marrone que se acidentou na tarde de segunda-feira (2) em São José do Rio Preto, no interior de São Paulo.

Três profissionais da Aeronáutica e dois técnicos das empresas fabricantes da aeronave e do motor trabalharam nesta manhã na perícia do local da queda. Durante a tarde desta terça, o tenente coronel pretende ouvir o cantor e o piloto do helicóptero que ainda estão internados em hospitais do município.     "Fizemos a parte de avaliação inicial dos destroços e agora o procedimento que está sendo realizado é a remoção da aeronave.  Tem de ser feita com todo o cuidado para não mascarar ou alterar alguma coisa", afirmou o oficial responsável pela investigação.

A aeronave ficará sob guarda da Aeronáutica e serão realizados testes no motor e no combustível utilizado no helicóptero.

Segundo ele, não há um prazo definido para a conclusão das investigações. "Temos de pegar todas as hipóteses e através do nosso trabalho irmos descartando as que não procederem, para chegarmos no final às mais prováveis."

O tenente-coronel Crespo, do Seripa IV (Foto: Luciana Bonadio/ G1 )

  Crespo disse que recebeu autorização das famílias para conversar com Marrone e o piloto Almir Carlos Bezerra ainda nesta terça-feira. O cantor está internado no Hospital de Base de Rio Preto e deve receber alta nesta quarta-feira (4).

O piloto recebe atendimento na Santa Casa do município. Ele teve o membro inferior esquerdo amputado dez centímetros abaixo do joelho. A expectativa é ouvir os dois antes da conclusão dos trabalhos de investigação em São José do Rio Preto.

Segundo a assessoria da dupla sertaneja, o helicóptero que pertence a Marrone passava por manutenção regularmente. O tenente-coronel do Seripa afirmou que o objetivo da investigação não é encontrar culpados. "A missão da Força Aérea neste trabalho de investigação é prevenir que novos acidentes como esse aconteçam."

Medo de avião

Pela manhã, Valdir Alves Ferreira, irmão de Marrone, contou o sertanejo comprou há quatro anos o helicóptero que caiu. Com medo de avião, Marrone considerava, segundo o irmão, a aeronave “mais segura” para as viagens que precisava realizar para cumprir a agenda de shows.

“Meu irmão tem medo de avião e comprou o helicóptero. Ele dizia que, se caísse, tinha chance de sobreviver. Ele acha que helicóptero é mais seguro”, afirmou Ferreira.

A dupla tem shows marcados de quinta-feira até sábado. Na quinta-feira (5), a apresentação seria no Villa Country, na Zona Oeste da capital paulista. Segundo a assessoria, a mudança de data desse show está sendo negociada, mas não há nada decidido. Não está descartada, também, a possibilidade de Bruno subir ao palco sozinho para cumprir a agenda.

Depois de receber alta, Marrone deve seguir para Goiânia, onde vivem os pais, ou São Paulo, onde está a filha que nasceu há cerca de 10 dias. Segundo a equipe médica do hospital, Marrone, que sofreu leves escoriações, terá que ficar sob repouso durante uma semana, podendo voltar às atividades profissionais após este período.

O médico Paulo Espada, cirurgião geral e de trauma, disse em entrevista nesta terça-feira que o cantor chegou consciente, orientado e com algumas escoriações leves pelo corpo. Ele foi submetido a exames, que não detectaram problemas. A equipe médica decidiu mantê-lo no hospital mais um dia para observar eventuais dores que apareçam. "Apesar de ele não ter lesões graves, o mecanismo do trauma foi importante, ele sofreu uma queda de helicóptero", disse.      

veja também