MENU

Africano é preso em MT suspeito de golpe contra comerciante

Africano é preso em MT suspeito de golpe contra comerciante

Atualizado: Sexta-feira, 28 Outubro de 2011 as 4:04

Um africano de 29 anos foi detido suspeito de aplicar um golpe dno valor e R$ 35 mil em um comerciante de Lucas do Rio Verde, a 360 quilômetros de Cuiabá. Na farsa, de acordo com o delegado do município, Marcelo Torhacs, o suspeito convenceu a vítima a dar o dinheiro em espécie e em troca deixou um pacote de notas de papel preto que, conforme o estelionatário, se transformaria em cédulas verdadeiras. Entretanto, logo depois do golpe, conhecido como "dólar negro", o comerciante foi até o hotel em que o suspeito estava hospedado e não o encontrou. Diante disso, a vítima procurou a polícia e fez a denúncia. "Pedimos ajuda à polícia dos municípios vizinhos e menos de duas horas depois do crime ele foi pego na BR-163, próximo a Nova Mutum (a 269 quilômetros de Cuiabá)", informou o delegado ao G1 .

Com ele, a polícia encontrou exatamente os R$ 35 mil em espécie pertencente ao comerciante. Em princípio, segundo um investigador da Polícia Civil de Nova Mutum, o africano alegou que era comerciante e vendia aparelhos de celular, mas falou que era de vários lugares diferentes, como Costa do Marfim, Haiti e São Paulo. Porém,depois, acabou confirmando o golpe e foi encaminhado à cadeia pública de Lucas do Rio Verde.

Na verdade, como explicou o delegado, o suspeito é de Burkina Faso, na África, e reside há aproximadamente cinco anos em São Paulo. Em depoimento, ele afirmou que já havia tentado aplicar o golpe em outros municípios mato-grossenses, entre eles Alta Floresta, Sinop e, por fim, Lucas do Rio Verde, onde obteve êxito. "Ele andava com uma caixa de madeira semelhante a uma estufa e tinha alguns pacotes de papel preto", pontuou Torhacs.

Como se trata de um estrangeiro, o delegado informou ainda que já entrou em contato com a Polícia Federal de Sinop que deverá instaurar um procedimento para definir onde o africano irá cumprir a pena. Ele frisou, porém, que o crime, nesse caso, de estelionato consumado, é de competência estadual.      

veja também