MENU

Agência é destruída em Belo Horizonte e 15 são presos

Agência é destruída em Belo Horizonte e 15 são presos

Atualizado: Quarta-feira, 19 Junho de 2013 as 6:18

protesto em minas
Uma agência bancária foi invadida e destruída por um grupo de pessoas no Centro de Belo Horizonte, na noite desta terça-feira (19). 
Vidros foram quebrados, computadores e equipamentos levados, móveis também foram colocados para fora da agência. Os militares chegaram ao local depois que a agência havia sido completamente destruída. À 0h30, 15 pessoas já haviam sido presas, de acordo com a corporação.
 
Segundo o Tenente-Coronel Alberto Luiz, a PM demorou a agir contra o grupo que atacou a agência porque teve que mobilizar contingente. O militar informou também, que a corporação estava acompanhando os manifestantes em pontos estratégicos. O policial disse ainda que profissionais da imprensa acuados precisaram de ser socorridos.
 
O quebra-quebra aconteceu no terceiro dia de protestos na capital mineira. Após os manifestantes se dispersarem da frente da Prefeitura. Um pequeno grupo retornou para a Praça Sete e o local foi vandalizado. Uma cabine da PM também foi destruída.
Antes disso, na administração municipal, os manifestantes atiraram bombas e garrafas, quebraram os vidros e depredaram toda a fachada. Policiais acompanharam a ação dentro do prédio fazendo a segurança. Um pequeno grupo que permanecia na porta da prefeitura se dispersou por volta das 22h20 depois da chegada do Corpo de Bombeiros e voltou para a Praça Sete.
 
No início da noite uma passeata seguiu da Avenida Antônio Carlos, na Região da Pampulha, até o Centro da capital. Os manifestantes caminharam por cerca de três horas até a Praça Sete. Após chegar ao local, eles decidiram ir para a prefeitura, na Avenida Afonso Pena. Segundo a Polícia Militar, cerca de oito mil pessoas participaram dos protestos nesta terça-feira.
 
Força nacional
O governador de Minas Gerais, Antonio Anastasia, pediu nesta terça-feira (18) apoio da Força Nacional de Segurança da Presidência da República para ajudar a conter os protestos em Belo Horizonte. Inicialmente a assessoria de imprensa do governo estadual, informou que 150 policiais já estavam na apital mineira, porém às 21h50, a assessoria informou que o reforço deve chegar nesta quarta-feira (19) .
O pedido de reforço foi feito durante um encontro entre Anastasia e a presidente Dilma Rousseff na manhã desta terça-feira, em Brasília. Segundo a assessoria de imprensa, o governador esteve na capital nacional para anúncio do marco regulatório da mineração.
 
Reunião
Uma reunião embaixo do viaduto de Santa Tereza, no Centro de Belo Horizonte, discutiu os rumos das manifestações na capital mineira. Um grupo de jovens se concentrou no local no início da noite desta terça-feira. O ato foi organizado pela internet e participantes ressaltaram que não há a intervenção de nenhum partido político e organização.
 
Durante a assembleia, temas diversos foram debatidos. Passe livre, ampliação do metrô na capital mineira, ação da polícia nos protestos, reforma política, atuação de governantes, a Lei Geral da Copa, a PEC 37 e formas de organização das manifestações foram alguns dos assuntos em pauta. Em grande parte da assembleia, os participantes usaram um megafone para expor suas ideias, em falas delimitadas no tempo de dois minutos.
 
O estudante Gladson Reis acredita que desta assembleia saiam reinvindicações mais claras para os protestos na capital mineira. “Esse encontro hoje é fundamental porque vai definir os rumos do movimento e preparar as novas ações”, disse.
Reis comentou a ação da Polícia Militar de Minas Gerais na manifestação desta segunda-feira (18).  “Achei uma irresponsabilidade da polícia, os policiais pareciam que estavam com raiva”. Para o estudante, o governador Antonio Anastasia precisa se retratar em relação à repressão da PM. Ele afirmou que a juventude não vai deixar as ruas.
 

veja também