MENU

Agentes da PF vão morar na fronteira para combater narcotráfico em MT

Agentes da PF vão morar na fronteira para combater narcotráfico em MT

Atualizado: Quinta-feira, 15 Setembro de 2011 as 3:38

Para ampliar a segurança na fronteira com a Bolívia, o novo superintendente da Polícia Federal de Mato Grosso, Cézar Augusto Martinez, declarou durante o discurso de posse nesta quinta-feira (15) que serão construídas 30 casas em Cáceres, a 250 quilômetros de Cuiabá, destinadas exclusivamente aos agentes da PF e as respectivas famílias. Os policiais que se dispuserem à enfrentar a missão vão receber uma gratificação como recompensa.   Empossado no lugar de Valmir Lemos Oliveira, o novo superintendente frisou que uma das principais metas é o combate ao narcotráfico e afirmou que a Polícia Federal possui um plano estratégico nacional até 2022, o qual inclui as Olímpiadas de 2013 e a Copa de 2014. "A nossa meta regional é apertar o cerco contra os crimes de corrupção, desvio de dinheiro público, narcotráfico a partir da ampliação da segurança na fronteira", pontuou. Ele não soube informar o valor da gratificação que será dada aos policiais.

Em razão da demanda, ele anunciou que está prevista a contratação de novos agentes por meio da realização de concurso público. "Estamos com a perspectiva de abrir concurso ainda este ano e que os aprovados possam ir para a academia no ano que vem. Com isso, do segundo semestre em diante já podemos recebê-los", explicou Martinez. O reforço da segurança na divisa com países vizinhos, segundo ele, será discutido em reunião nesta quinta-feira com o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, e a presidente da República Dilma Roussef, em Brasília.

Apesar de não saber o número de vagas, já que a definição ficará por conta do governo federal, o superintendente adiantou que a quantia será significativa e aproximadamente um terço além do quatro atual. Ele pondera que o efetivo de hoje é suficiente, mas há como ampliar os serviços e cita como exemplo o combate aos crimes ambientais que, segundo Martinez, encontra-se deficitária, já que a maioria do efetivo está direcionado ao combate do narcotráfico.

Martinez afirmou ainda que o prédio da Delegacia da PF está passando por uma readequação até a construção do novo edifício, pois a empresa vencedora da licitação abandonou a obra. "Agora, estamos fazendo um novo processo licitatório. No próximo ano, as obras serão reiniciadas, mas hoje a Delegacia está em pleno funcionamento", disse.          

veja também