MENU

Agnelo: ausência de Weslian em debate foi lamentável

Agnelo: ausência de Weslian em debate foi lamentável

Atualizado: Sexta-feira, 15 Outubro de 2010 as 7:43

Com a desistência da candidata do PSC ao governo do Distrito Federal, Weslian Roriz, em participar do debate da noite desta quinta-feira, promovido pela Band, o petista Agnelo Queiroz respondeu sozinho à sabatina de um time de jornalistas da emissora.

Após classificar como “lamentável” a ausência da adversária, o candidato respondeu a perguntas sobre temas como aborto, corrupção, seu vice, Tadeu Filipelli – sobrinho de Weslian e ex-secretário de Obras no governo de Joaquim Roriz –, e a infraestrutura da capital federal e anunciou a intenção de criar uma “Secretaria da Transparência”, com carta branca para fiscalizar todas as áreas do governo.

Ao escolher o tema saúde pública para discorrer no primeiro bloco, Agnelo – que é médico – reafirmou a intenção de acumular o cargo de secretário do setor, caso seja eleito, nos primeiros três meses de governo, construir unidades de atendimento 24 horas em todas as cidades-satélites do DF e instalação de 400 equipes de saúde da família.

Já no segundo bloco, o candidato declarou ser contra o aborto, como médico e cristão, ao ser questionado sobre o tema, e disse trabalhar na questão em parceria com o “povo de Deus”.

No segmento seguinte, questionado a respeito da relação de seu vice com o casal Roriz, Agnelo afirmou que Filipelli “rompeu com esse passado", e destacou a total ausência de denúncias e processos contra o colega de chapa. “Ele é ‘ficha limpa’, como eu”, ressaltou.

Caixa de Pandora, corrupção e transparência

O candidato respondeu ainda a perguntas sobre a operação Caixa de Pandora da Polícia Federal - que acarretou na resultou na prisão e cassação do ex-governador José Roberto Arruda e foi classificada pelo candidato do PT como “a pior crise política ética e moral da história do DF" -, o chamado Mensalão do DEM e o controle dos gastos públicos, tema que se provou recorrente ao longo da noite.

Agnelo aproveitou a oportunidade da para detalhar melhor sua "Secretaria da Transparência": trataria-se de um agrupamento de órgãos de controladoria, auditoria e ouvidoria que fiscalizariam os contratos firmados pelo governo do DF, além de divulgar todos os gastos em um site na internet, em um modelo próximo ao do Portal da Transparência do governo federal.

Ao longo da sabatina, o petista prometeu ainda um governo caracterizado pela repressão "implacável" ao tráfico de drogas, em especial o crack, e voltou a mencionar parcerias com igrejas, desta vez no tratamento de dependentes.

Apelo

No último bloco, ao fazer suas considerações finais, Agnelo voltou a lamentar a ausência de Weslian Roriz ao encontro. Ele argumentou que no segundo turno o número de candidatos é "afunilado" para que se tenha mais tempo para detalhar e discutir propostas, e que o não comparecimento da adversária impede que o eleitor tenha a oportunidade de acompanhar o processo.

Agnelo reiterou ainda o apelo que tem feito aos eleitores, para que não viagem na data das eleições, 31 de outubro, que precede o feriado prolongado de Dia de Finados, no dia 2 de novembro.

veja também