MENU

Agnelo pedirá reforço do Exército e da PF no dia da eleição

Agnelo pedirá reforço do Exército e da PF no dia da eleição

Atualizado: Quarta-feira, 29 Setembro de 2010 as 9:25

Após briga de militantes, petista acusa rivais rorizistas de usarem “milícias” para intimidá-lo O candidato do PT ao governo do Distrito Federal, Agnelo Queiroz, disse esta terça-feira que pedirá à Justiça Eleitoral para ter a escolta do Exército e da Polícia Federal no dia do pleito, que acontece no próximo domingo. Agnelo acusou a coligação da principal rival, Weslian Roriz (PSC), de usar “milícias” para intimidar a ele e à militância petista.

“Estou preocupado com a ação violenta do meu rival, que é sinal de desespero”, afirmou, após o debate da TV Globo. “As milícias estão tentando me intimidar. Vou pedir segurança e proteção no pleito. Polícia Federal, tropas do Exército para garantir a lisura e, sobretudo, a paz na eleição”.

Antes do evento, simpatizantes rorizistas e petistas se enfrentaram em frente à sede da emissora, em Brasília. Agnelo negou, contudo, seus militantes tenham participado da briga. “Minha campanha é da paz. Não tem uma ação de agressão de militante meu”, disse.

Com exceção de Weslian Roriz, que deixou a sede da emissora sem falar com a imprensa, os demais candidatos também condenaram a violência entre militantes. Toninho do PSOL classificou a briga de “banditismo”. “Fui vítima de agressão no Lago Paranoá. Repudio qualquer tipo de violência. Espero que a polícia apure quem teve a iniciativa”.

Já Eduardo Brandão (PV) afirmou que a disputa eleitoral deve ser dar em torno de propostas. “Não é assim que a gente deve fazer política, mas em cima de propostas, de projetos para o futuro de Brasília”.

veja também