MENU

Alerj aprova projeto que cria bilhete único na Região Metropolitana

Alerj aprova projeto que cria bilhete único na Região Metropolitana

Atualizado: Quarta-feira, 23 Dezembro de 2009 as 12

A Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) aprovou nesta terça-feira, dia 22, um projeto de lei do governo estadual que cria o bilhete único na Região Metropolitana. Com o tíquete, o passageiro terá direito a duas viagens de trens, metrô, ônibus, barcas ou vans legalizadas. O governador Sérgio Cabral terá 15 dias para sancionar ou vetar a proposta.

Das 83 emendas sugeridas, os deputados aprovaram apenas 20. O texto original do projeto sofreu poucas modificações. De acordo com a Alerj, com a aprovação, o estado do Rio se torna o primeiro a ter o bilhete único intermunicipal. 

Segundo lideranças do governo, uma das modificações no projeto prevê que as autoridades estaduais serão responsabilizadas se não houver dinheiro para financiar o bilhete. "Não altera o conceito do projeto, aperfeiçoa a redação, cria um controle mais rígido e dá maior transparência", disse o deputado Paulo Mello (PMDB).

Durante a votação, parlamentares que tentaram aumentar o número de viagens ou reduzir o preço das passagens tiveram as emendas rejeitadas: "Esse projeto é importante, mas ele é tímido perante os interesses da população. Ele poderia ser muito melhor do que o que chega a essa casa", declarou o deputado Marcelo Freixo (PSOL).

O projeto prevê que o passageiro tenha duas horas para fazer a baldeação entre os meios de transporte. O tíquete começará a ser vendido a partir do dia 1° de fevereiro do ano que vem e vai custar R$ 4,40.

Impasses

Representantes do governo e das concessionárias que administram o transporte no estado vêm se reunindo há meses. As empresas temem uma perda grande na receita. E pedem garantias do governo de que vão receber ajuda financeira, ou subsídios, para aderir ao sistema.

Segundo Sérgio Ballousier, especialista em transportes urbanos, sem esse apoio do estado a qualidade do serviço pode cair. "Sem dúvidas, por isso é absolutamente necessário o subsídio aos transportes. Compensar a perda de receita que fatalmente ocorrerá", afirma.

No dia 15 de dezemnro, o secretário da Casa Civil, Régis Fichtner, disse que o governo deverá subsidiar mais de 2 milhões de pessoas que transitam diariamente pela Região Metropolitana.

"Estamos realizando reuniões periódicas, estamos muito próximos de um acordo com as concessionárias. Agora, o estado vai ter que, provavelmente, pagar adicionalmente pra que essas pessoas possam viajar com mais conforto e com menor preço", disse o secretário.

veja também