Aliado de Arruda diz que teme pela vida do governador afastado

Aliado de Arruda diz que teme pela vida do governador afastado

Atualizado: Terça-feira, 9 Março de 2010 as 12

O primeiro-secretário da Câmara Legislativa do Distrito Federal, deputado Batista das Cooperativas (PRP), afirmou nesta segunda-feira que "teme pela vida" do governador afastado e preso, José Roberto Arruda (sem partido). Segundo o parlamentar, o ex-democrata está com quadro de diabetes avançado e com suspeita de trombose (formação de um coágulo de sangue) nos pés.

Batista esteve no final da tarde de ontem, dia 8, na Superintendência da Polícia Federal, onde Arruda está preso desde 11 de fevereiro, para comunicar a abertura de processo de impeachment contra ele pela Casa.

"Temo pela vida do governador. Eu fiquei preocupadíssimo com o estado de saúde do governador. Ele apresenta um estado avançado de diabetes e está caminhando para uma trombose nos pés, que estão absurdamente inchados", disse.

O deputado questionou o fato de Arruda ter sido escoltado até o hospital por dez policiais para realizar exames. "Arruda não vai sair caminhando. Ele não é um bandido de alta periculosidade. Ele é um governador. Pela idade do governador, se ele correr, tem muito policial jovem que o alcança", afirmou.

Aliado de Arruda e integrante da tropa de choque que blindou o governador até o STJ (Superior Tribunal de Justiça) determinar a prisão, Batista disse que Arruda está em um "estado deplorável" e demonstra abatimento.

"Não vou entrar no mérito de culpado ou inocente. O homem que eu encontrei não é o mesmo que deixei na carceragem da Polícia Federal na sexta-feira. Ele está em um estado deplorável. Não estou falando de maus tratos, mas me assustou o estado em que ele se encontra", disse.

Arruda foi levado na manhã de hoje ao Hospital Kubitschek, no Sudoeste, bairro nobre da capital federal. Essa foi a primeira saída dele desde que foi preso no dia 11 de fevereiro.

O governador afastado reclamou que estava com inchaço e sentindo fortes dores no tornozelo direito, que foi operado no final do ano passado após a ruptura nos ligamentos. A consulta durou uma hora e meia. O resultado dos exames ainda não foi divulgado.

Os advogados de Arruda disseram ontem que ele apresentava inchaço no tornozelo por causa do quadro de diabetes. Desde que Arruda foi preso, os advogados reclamam das condições do atendimento médico do governador e chegaram a afirmar que reivindicaram uma consulta do médico da família que teria sido negada pela Polícia Federal.

Segundo a Polícia Federal, "não há nenhum quadro de anormalidade" no estado de saúde de Arruda. A Polícia Federal informou ainda que o governador afastado passa diariamente por avaliação de um cardiologista que mede a pressão arterial e checa possíveis problemas de saúde.

Por: Márcio Falcão

veja também