MENU

Aliado de Kassab é reeleito presidente da Câmara de SP

Aliado de Kassab é reeleito presidente da Câmara de SP

Atualizado: Quinta-feira, 15 Dezembro de 2011 as 1:56

Police preside sessão em que foi reeleito ao lado

da filha, Sophia  (Foto: Roney Domingos / G1) O presidente da Câmara Municipal de São Paulo, José Police Neto (PSD),  de 39 anos, foi reeleito nesta quinta-feira (15) para mais um mandato de um ano. Acordo entre líderes dos partidos fechado na terça-feira (13) garanttiu a reeleição de Police. Ele chegou à sessão acompanhado da filha, Sophia, de 8 anos, que cumprimentou aliados e adversários políticos do pai.

Baseada no critério da proporcionalidade, a nova composição da mesa beneficia o Partido da República (PR), sigla do ex-presidente Antônio Carlos Rodrigues, derrotado na eleição de 2010 após quatro mandatos consecutivos. A sigla voltou à mesa.  O resultado sacrifica o PCdoB e o PRB, que perderam vagas, e o PDT, que trocou um cargo mais importante (2ª vice-presidência)  por um de menor relevância (1ª suplência). Police foi eleito em 2010 com apoio do prefeito Gilberto Kassab quando ainda integrava o PSDB e neste ano filiou-se ao PSD fundado pelo prefeito. "O que a gente buscou foi o equilíbrio da urna. No ano passado, a gente teve uma disputa e disputas deixam marcas. Neste ano, a gente teve uma composição, que cristalizou o tamanho das forças", disse Police Neto.

Ítalo Cardoso (PT) foi eleito primeiro secretário, o segundo cargo mais importante da mesa, no lugar de Netinho de Paula (PCdoB).  "Cada partido tem espaço aqui de acordo com o seu tamanho na sociedade", afirmou o petista.

Marco Aurélio Cunha (PSD) foi reeleito para a Corregedoria. Claudinho de Souza (PSDB) foi eleito para a 1ª Vice-Presidência; Dalton Silvano (PV) foi eleito para a 2ª Vice-Presidência; Toninho Paiva (PR) será segundo secretário; Cláudio Prado (PDT) é o primeiro suplente e Noemi Nonato (PSB) será a segunda suplente.

Rodrigues disse na terça-feira que o PR não exigiu participação na mesa, mas recebeu proposta do atual presidente da Câmara para integrar a direção. "Nós recebemos a proposta de participação e aceitamos. Nós não exigimos nada", afirmou.

O líder do governo, Roberto Tripoli (PV), afirma que sempre defendeu o critério de proporcionalidade. "Para mim não é volta. Proporcionalidade eu sempre advoguei", afirmou.

Integrante do PR e um dos opositores mais ferrenhos de Kassab, o vereador Aurélio Miguel não compareceu nesta quinta-feira pela manhã. Ele afirmou na terça-feira  que o partido não se ofereceu e nem se insinuou. "A bancada tem cinco vereadores. Eu fui voto vencido", afirmou. O líder do PSDB, Floriano Pesaro, defendeu o acordo que manteve o espaço do PSD.

"O PSDB sempre defendeu um acordo que nós respeitássemos o acordo da proporcionalidade, respeitando a posição política de cada uma das bancadas. Há um grupo que ganhou as eleições no ano passado. Ao reeleger o presidente, esperamos manter a mesma direção", afirmou.

A discussão em torno da eleição da futura mesa ocupa lugar de destaque nas negociações entre os 55 vereadores desde o início da semana.

Police Neto afirmou que no próximo ano a Câmara de São Paulo tem de enfrentar temas referentes aos principais problemas da cidade, entre eles, habitação de interesse social,  plano d educação, descentralização da cidade, plano de mobilidade e plano de benefícios para a região central da cidade.

Painel mostra votação de Police Neto nesta quinta-feira (Foto: Roney Domingos / G1)          

veja também