MENU

Amorim apresenta no Haiti propostas de reconstrução do país

Amorim apresenta no Haiti propostas de reconstrução do país

Atualizado: Quarta-feira, 29 Setembro de 2010 as 10:32

O ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, desembarca hoje (29) em Porto Príncipe, no Haiti, onde fica até amanhã (29). A ideia é fechar uma série de parcerias para fortalecer as instituições e os sistemas de saúde, educação, cultura e meio ambiente no país destruído pelo terremoto de janeiro.

O chanceler vai sugerir propostas para a construção de uma hidrelétrica e centros de saúde. Também vai oferecer bolsas de estudo para universitários.

Amorim apresentará a proposta, desenvolvida no Brasil, para a construção da Hidrelétrica de Artibonite. A previsão é que só essa hidrelétrica atenda a cerca de 500 mil haitianos. Também há um projeto em parceria com Cuba para construir unidades de atendimento de emergência e treinamento de pessoal da área de saúde.

O chanceler vai oferecer ainda 500 bolsas de estudo para universitários haitianos no Brasil. O objetivo é que os estudantes concluam os cursos superiores e não tenham que aguardar até a reconstrução das instituições onde estavam matriculados. Amorim apresentará outro projeto para a produção de merenda escolar.

O ministro tem reuniões com o presidente do Haiti, René Préval, o primeiro-ministro, Jean-Max Bellerive, e a ministra dos Negócios Estrangeiros, Marie-Michèle Rey, além do representante especial das Nações Unidas, Edmond Mulet, e do comandante militar da Missão das Nações Unidas para a Estabilização do Haiti (Minustah), general Luiz Guilherme Paul Cruz.

O chanceler quer observar de perto o processo de reconstrução do Haiti, depois do terremoto de 7 graus na escala Richter, no dia 12 de janeiro deste ano, que matou 220 mil mil pessoas e destruiu o país. A comunidade internacional se uniu para ajudar na reconstrução.

Nos dois dias que ficará em Porto Príncipe, Amorim planeja ir à sede do projeto Coleta de Resíduos Sólidos – Carrefour Feuilles, colocado em prática com recursos do Fundo Índia, Brasil e África do Sul (Ibas). Ele também vai visitar a sede do  projeto Kay Nou, coordenado pelo Movimento Viva Rio e desenvolvido no bairro de Bel-Air, considerado o mais violento da capital haitiana. A proposta é estimular o aperfeiçoamento da mão de obra, a educação e cultura.

veja também