MENU

Análise do TSE sobre criação do PSD atrasará 10 dias

Análise do TSE sobre criação do PSD atrasará 10 dias

Atualizado: Sábado, 10 Setembro de 2011 as 9:44

Um   pedido

da vice-procuradora-geral Eleitoral, Sandra Cureau, atrasará em dez dias a análise do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) sobre a criação do PSD, partido do prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab.

Cureau requisitou ao tribunal a realização de diligências para que o partido explicasse as suspeitas de fraude em assinaturas de eleitores. O pedido foi negado pela relatora do caso, ministra Nancy Andrighi, que, apesar disso, determinou a reabertura de prazo para que a Procuradoria Geral Eleitoral emita sua opinião final sobre a criação do PSD.

Procuradoria pede mais tempo para analisar criação do PSD

Ex-correligionários de Kassab dão apelidos jocosos a novo partido

TSE deve julgar criação de quatro partidos para eleição de 2012

PSD de Kassab já é a segunda bancada na Câmara de SP

"Indefiro o pedido de conversão do processo em diligência, porquanto o Ministério Público Eleitoral não explicita de maneira específica e fundamentada qual a diligência pretendida", diz a decisão de Andrighi.

A vice-procuradora não chegou a detalhar o que pretendia, apenas pediu, genericamente, pelas realizações de diligências.

"Há denúncias amplamente noticiadas pela imprensa, muitas das quais aportaram no Ministério Público Eleitoral em todo o território nacional, sobre supostas fraudes nas coletas de assinaturas nas listas de apoiamento", argumentou Cureau.

Ela tinha um prazo até segunda-feira para analisar a documentação enviada pelo PSD _ no pedido de registro eleitoral e dizer se tudo está correto. Só então o TSE poderá formalizar, ou não, a criação do partido.

A sigla de Kassab corre contra o tempo, pois precisa ter tudo formalizado até o dia 7 de outubro para que possa inscrever candidatos nas eleições municipais do ano que vem. Para concorrer, um político tem que estar filiado à sigla há pelo menos um ano.

Como a procuradora havia se limitado a pedir a investigação, sem entrar no mérito da questão, foi ela mesmo que pediu a reabertura de prazo de dez dias. Agora, a Procuradoria Geral Eleitoral terá até o dia 20 de setembro para enviar seu parecer.  

veja também