MENU

Apesar de interdição, moradores não deixam casas na Zona Norte de SP

Apesar de interdição, moradores não deixam casas na Zona Norte de SP

Atualizado: Terça-feira, 1 Março de 2011 as 12:37

Moradores da Rua Belchior de Ordas, na região da Vila Guilherme, Zona Norte de São Paulo, que tiveram as casas interditadas na segunda-feira (28) devido ao desabamento de residências vizinhas continuavam em casa na manhã desta terça-feira (1º) apesar da interdição anunciada pela Defesa Civil do município. Com a chuva de segunda, quatro residências desabaram parcialmente na Rua Ciro, que é uma travessa da Rua Belchior de Ordas. Outras duas ficaram completamente destruídas na Travessa João Rangel e acabaram provocando a destruição da parede de uma igreja.

A costureira Marília das Graças Ferreira, de 53 anos, passou a noite em sua residência. “Eles deram a ordem de interdição, mas o que a gente ia fazer? Não tinha para onde ir. A gente tirou as coisas mais pesadas lá dos fundos. Vamos ver agora para onde a gente vai”, disse a costureira logo após de receber mais uma visita de um guarda civil metropolitano.

A auxiliar de enfermagem Nilce Alves Macedo, que também mora na Rua Belchior de Ordas, tinha ido buscar as crianças na escola quando houve o desabamento. "Passei a noite em casa. Minha casa não trincou, mas a da vizinha trincou. Nós estamos desabrigados agora”, contou. “Eu não dormi nada. Estou até com os meus olhos vermelhos. Estamos esperando para ver se a casa vai continuar mesmo interditada”, disse o marido de Nilce, José Valdivino de Azevedo.

As casas que desabaram na Rua Belchior de Ordas estavam interditadas há dois anos pela Subprefeitura da Vila Guilherme/Vila Maria. A medida foi tomada porque a construção de um edifício em um terreno ao lado teria prejudicado as estruturas das residências. De acordo com o subprefeito da Vila Maria e da Vila Guilherme, Antônio de Pádua Perosa, a autorização para a realização desta obra foi negada e, desde então, a obra está embargada.     “Todas as casas estavam regularizadas. Nenhuma está em área identificada como de risco”, disse Perosa.

Ao todo, 16 imóveis foram interditados na região por precaução. Segundo a subprefeitura, alguns moradores que já deixaram as suas casas foram para casa de amigos e parentes.

Nesta manhã, técnicos da Defesa Civil continuavam no local avaliando a situação das residências. A Prefeitura não descarta que outras ainda possam ser interditadas.

O coronel Jair Paca, chefe da Defesa Civil do Município, afirmou que o excesso de chuva teria contribuído para o escorregamento do terreno. “Fatores como excesso de chuvas e declividade do terreno contribuíram para o desabamento”, afirmou. Nesta segunda-feira, a Zona Norte da capital foi a mais atingida pelas chuvas. O Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE) registrou 74,6mm de precipitação na região.    

veja também